quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Fear The Walking Dead Primeiras Entrevistas: Frank Dillane


Fear The Walking Dead é a nova série que se passa no mesmo universo de The Walking Dead e mostrará os primeiros momentos do apocalipse zumbi. Ambientada em Los Angeles, a produção contará com novos personagens, tramas inéditas e conflitos familiares misturados ao então misterioso surto, que aos poucos vai acabando com a civilização.

Nesta série de primeiras entrevistas cedidas à AMC, o elenco principal de Fear The Walking Dead comenta suas impressões e expectativas. Confira a seguir informações sobre o ator Frank Dillane e seu personagem, Nick Clark, seguida de sua entrevista.

Sobre Frank Dillane


Formado na Academia Real de Arte Dramática (RADA), em Londres, Frank Dillane já atuou em várias produções teatrais, incluindo Candide (Theatre Royal Bath); Peter Pan or the Boy Who Would Not Grow Up; The Merchant of Venice; The Provok’d Wife; A Respectable Wedding; The Seagull; and The Winter’s Tale (all for R.A.D.A.).

Seus créditos no cinema incluem: Viena and the Fantomes (Lola Pictures); In the Heart of the Sea (Articulated Productions Ltd); Maestro (Scarlet Films); Papadopoulos & Sons (Double M Films); Harry Potter and the Deathly Hallows (DDDCO Ltd/Warner Bros.); Harry Potter and the Half Blood Prince (VeeEye Ltd/Warner Bros.); e Welcome to Sarajevo (Channel 4/Miramax/Dragon Pictures). Seus créditos no rádio incluem Jill (Allegra Productions). Ele também apareceu recentemente em Sense 8 da Netflix.

Sobre Nick Clark


Frank é um jovem de 19 anos viciado em drogas. Sua mãe, Madison, o enviou para um centro de reabilitação várias vezes, mas agora Nick chegou a um ponto onde ninguém pode dizer a ele o que fazer ou forçá-lo a recuper-se – ele tem que fazer isso sozinho. Quando vimos ao Nick por primeira vez, encontramos um jovem em uma encruzilhada. Nick quer provar que ele pode reconstruir sua vida – e o apocalipse pode fornecer-lhe uma irônica oportunidade.

Quem é Nick?

Nick é um cara de 19 anos de idade, cujo pai está morto e ele vive com sua mãe e irmã – bem, ele meio que foge de casa de vez em quando. Ele luta com o vício também. Nick está em um estado de contato de vida e morte, e eu acho que isso é a vida para viciados. Tudo é a vida e a morte, atirado ao fim do mundo, e aqui há um jovem muito instável.

O que foi intrigante sobre interpretar esse personagem e ser uma parte deste mundo?

Eu não vi o original Walking Dead. Eu gosto do fato de que não há um monte de tela azul e coisas assim. Atuar hoje é tanto quanto o entretenimento vazio. E este show está lidando com algo importante, porque o mundo vai acabar um dia. Todos os temas da série parecem ser realmente importantes e reais. Isso é o que me intrigou. A família é um tema, a morte, a moralidade, o que é ser um ser humano, o que o leva a matar alguém e qual o efeito disso. O que acontece com a humanidade quando as paredes desmoronarem? O que estamos realmente fazendo aqui? Estes são temas reais e humanos.

Qual é a história por trás desta série?

É antes do estabelecimento do apocalipse. De modo que ainda estamos na fase da pergunta: isso é uma doença? Pode ser curada? O governo, eu acredito, vai ter um papel mais importante em relação a que nos dizem, o que eles não fazem, e como somos vítimas ou não de uma lavagem cerebral.


Como é a família e Nick? Possuem uma boa relação?

Eu acho que esta família é apenas “uma família”. Eu acho que eles são relacionáveis, porque eles são uma família.

Qual é a diferença entre Fear e The Walking Dead?

A diferença é que em uma o apocalipse está estabelecendo e na outra estamos no meio dele. É o direito de matar ou não? Essas coisas estão ainda sendo determinadas. Isto é muito mais como lidar com a moralidade do que é matar um zumbi.

Qual é o relacionamento de Nick como com sua mãe, Madison?

Eu acho que é um relacionamento entre mãe e filho. Eu sei que para algumas mães, seus filhos não pode fazer nada errado, à frente de seus olhos, e eu acho que isso pode ser uma falha de uma mãe. Às vezes, elas não podem ver que seus bebês não são apenas auto-destrutivos, mas destrutivos, e assim eles se recusam a acreditar que poderia ter criado um monstro. Não que Nick seja um monstro, mas, por vezes, suas ações são monstruosas. O amor de uma mãe pode ser tão esmagador e tão difícil para os meninos, porque eles podem ser muito egoístas. Como pode esta mulher ficar ao lado dele? E eu acho que isso é difícil demais.

Nick ainda é dependente do egoísmo, por isso não estou claro sobre como ele se sente sobre sua família. Ele ainda está preso na necessidade de gratificação imediata, por isso, eu não tenho certeza de como anda seu espírito. Ele ainda parece estar em uma neblina de necessidades. A pessoa ausente em toda a equação é realmente o pai de Nick, então eu acho que Nick ainda está se recuperando do choque da perda. E eu acho que isso é o motivo pelo qual Nick não se importa tanto porque seu pai está morto.


Como é que Nick reage aos zumbis?

Acho que ele sabe o que ele vê. Eu acho que se as pessoas duvidam de você, essa dúvida se arrasta. Acho que junkies são, por vezes difícil de acreditar. Talvez ele seja inconsistente em sua linguagem ou emoções e ele pode aparecer com raiva/louco. Eu acho que essa característica já existia antes da heroína. É como se a loucura existisse de qualquer maneira. Eu acho que com Nick, é tudo vida e morte. E eu tentei regressar a minha infância, não estar preocupado com o condicionamento social ou com as expectativas sociais de ser um ser humano. Eu acho que se você é uma pessoa como Nick, você gostaria de ficar do lado de fora da sociedade.

Como é o mundo no estágio de pré-apocalipse?

O mundo é como é – muito ruim. Nós vivemos em uma sociedade capitalista. A comunidade está morta. Vivemos para nós mesmos, e eu acho que isso é o mundo em que nos encontraremos no fim do mundo. O que acontece quando Nick não pode ser auto-centrado, quando ele tem que cuidar de sua irmã ou a mãe? Eu acho que então vamos perceber o quão fomos tolos.

Nick vai entender mais este mundo?

O vício é uma coisa física na mente. Eles fizeram um teste com um rato onde ele iria tocar neste botão, e se você injeta o rato com o gene do vício, ele vai apertar o botão até que ele esteja morto. Assim, o alimento não é o problema, o gene é o problema. Então, uma vez que a heroína está fora, talvez ele vai se tornar viciado em alguma outra coisa, como o amor.

Eu acho que um viciado é alguém que não tem uma relação estreita com Deus, e ele está consciente de que Deus está faltando em sua vida. As drogas, pelo menos, dão-lhe uma religião, dão-lhe algo para viver. Eu acho que Nick vai pensar em deixar a heroína, mas por agora, eu não acho que ele não tem nada para viver. E isso pode ser uma grande coisa. Se você não tem nada para viver, você não se importa. Ele está flutuando entre a vida e a morte constantemente. Eu acho que ele já viu o diabo.

***

Fear The Walking Dead estreia dia 23 de agosto de 2015 e terá seis episódios com uma hora de duração cada. A série já tem segunda temporada garantida e chegará ao Brasil pelo canal AMC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário