terça-feira, 18 de agosto de 2015

Fear The Walking Dead Primeiras Entrevistas: Kim Dickens


Fear The Walking Dead é a nova série que se passa no mesmo universo de The Walking Dead e mostrará os primeiros momentos do apocalipse zumbi. Ambientada em Los Angeles, a produção contará com novos personagens, tramas inéditas e conflitos familiares misturados ao então misterioso surto, que aos poucos vai acabando com a civilização.

Nesta série de primeiras entrevistas cedidas à AMC, o elenco principal de Fear The Walking Dead comenta suas impressões e expectativas. Confira a seguir informações sobre a atriz Kim Dickens e sua personagem, Madison Clark, seguida de sua entrevista.

Sobre Kim Dickens


Kim Dickens provou ser uma atriz versátil, representando uma vasta gama de personagens complexos e poderosos na televisão e no cinema. Ela recentemente finalizou a produção de Tim Burton “Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children”, uma adaptação do clássico romance de Ransom Riggs da 20th Century Fox, estrelado por Eva Green, Asa Butterfield, Ella Purnell, Allison Janney e Samuel L. Jackson. O filme está programado para estrear no dia 4 de março de 2016.

Em 2014, Dickens atuou como a detetive Rhonda Boney (atriz coadjuvante) no aclamado suspense psicológico de David Fincher Gone Girl ao lado de Ben Affleck e Rosamund Pike. Seus créditos cinematográficos adicionais incluem aparições no indicado ao Oscar, The Blind Side de John Lee Hancock; na comédia satírica nomeada ao Globo de Ouro Thank You for Smoking, e no filme de Allison Anders The Things Behind the Sun, papel que lhe rendeu uma indicação ao Independent Spirit Award em 2002.

Na televisão, Dickens coleciona alguns créditos impressionantes que incluem: nominação ao Emmy pela mini-série Treme da HBO, criada por David Simon; o criticamente Friday Night Lights da NBC; a premiada série Lost da ABC e drama Deadwood da HBO, premiado com o Golden Globe.

Dickens nasceu em Huntsville, Alabama, e estudou na Universidade de Vanderbilt, em Nashville, onde gradou-se em comunicação. Logo depois, mudou-se para Nova York para continuar os seus estudos no Lee Strasberg Theatre and Film Institute. Mais tarde, Dickens passou dois anos no conservatório de artes cênicas da American Academy of Dramatic Art, na cidade de Nova York.

Dickens atualmente reside em Los Angeles.

Sobre Madison Clark


Ela é uma popular conselheira do ensino médio do colégio El Sereno e, antes do apocalipse zumbi, ajudou estudantes a prepararem-se para o futuro. Uma mãe viúva, que criou seus dois filhos sozinha, mas que recentemente encontrou o amor novamente com um professor de Inglês da escola. A pressão para sobreviver traz clareza a Madison, e ela rapidamente toma decisões difíceis que vão manter sua família viva. A reviravolta revela um passado que Madison tentou enterrar. Agora, nesse novo mundo, ela não pode mais esconder quem ela realmente é.

Entrevista com Kim Dickens


Como você se envolveu com a série?

Eu fui para o processo de seleção sem saber nada sobre The Walking Dead. Eu sabia da popularidade do programa, mas nunca tinha assistido. Perguntei a eles o que eu deveria fazer para me preparar para a audição, e os produtores disseram: “Nada. Não assista o The Walking Dead”.

Você acha que ao assistir The Walking Dead teria sido benéfico ao seu personagem?

Eu não quero que meu personagem tenha uma ideia de como é este mundo apocalíptico. Eu não quero ter uma ideia na minha cabeça para me atrapalhar. Eu estou esperando para assistir a série, porque eu não quero ter um conhecimento como o dos fãs.

Madison é a melhor personagem na qual já trabalhei! Sinto-me feliz por ter representado personagens realmente interessantes na minha carreira, porque há muitas diversificações em todos eles. E a ação é fantástica também – exige muita demanda física e uma grande dose de diversão.

Como é trabalhar em algo tão secreto?

É assustador! Eu dizia coisas e acordava no meio da noite pensando no que tinha dito. É difícil, mas é emocionante.


O estresse do seu personagem coloca você em desafios?

Sim, é definitivamente um desafio. Eu acho que é por isso que o show é tão divertido. As apostas são altas, e há também tantos subcorrentes. Eles são exigentes, mas você se acostuma; e, em seguida, quer mais e mais. Vai ser assustador! É divertido ser parte dela como atriz.

Além disso, há algo lá que toca as pessoas – o tema da humanidade, o que fazemos para sobreviver e o que se tornaria naqueles momentos de forte competição. O que ele vai nos trazer e o que vamos descobrir sobre nós mesmos? Estes momentos de vida e morte são um desafio e não passamos por eles geralmente todos os dias. Eu tenho que personalizá-los, e as vezes sim, isso é um desafio.

Você quer saber o que vai acontecer como o seu personagem?

Em todo o trabalho de TV que eu fiz, eu não estou acostumada a ter mais do que um script de cada vez, e isso cria a sua própria magia. Os programas têm a sua própria personalidade e forma de trabalhar. Esta temporada foi preparada para nós e foi muito bem escrita. Cada página tem sido uma grande surpresa para mim.

Como é Madison?

É uma personagem bem durona. Ela é destemida e perturbada; ela é depressiva, complicada e bastante focada. Ela é forte, como a do tipo de origem misteriosa e questionável.


Onde está Madison Clark no início de Fear?

Ela é mãe solteira, de dois filhos incríveis, um com mais problemas do que o outro. Ela trabalha como orientadora educacional, e seu namorado Travis acaba de vir morar com ela. Madison é loucamente apaixonada por ele, e os dois trazem as respectivas famílias ao relacionamento. Travis tem o filho Chris (que vive em tempo integral com a ex-mulher Liza) e Madison o filho Nick e a filha Alicia.

Qual é a relação de Madison e Travis pré-apocalipse?

Eu acho que Travis está realmente ficando apaixonado por Madison e começa a aceitá-la com suas falhas e sua família complicada. Ela tem um filho de 19 anos, viciado em drogas, que entra e sai do centro de reabilitação, e esta não é uma situação fácil de entrar. É uma situação muito desafiante. Mas ele é muito compreensivo e isso mostra o quanto ele ama Madison. Eu não acho que Travis e Madison esperam pela perfeição. Eles querem estar juntos e encontrar alguma harmonia em esta disfunção.

Qual é o relacionamento de Madison com Nick e com Alicia?

Ela quer salvar o filho. Ela é codependente. É difícil para uma mãe não se sentir responsável por seu filho, que não é ileso, e que definitivamente teve problemas com drogas por um tempo. Chegamos a um ponto onde ele tem o direito de dizer sim ou não, ele é um adulto. Ela definitivamente quer o melhor para ele. Ela quer que ele esteja curado. Em seu coração, ela, às vezes, se sente responsável e perdedora, geralmente quando ele a deixa louca, e isso é o que os viciados em drogas geralmente costumam fazer. Este comportamento é realmente perturbador para uma família.

Alicia, de 17 anos, é a filha exemplar – inteligente, bonita, bem-equilibrada, apesar de sua problemática família e seu pai, que faleceu – uma grande perda para todos. Ela também tem que lidar com o irmão viciado em drogas – e como diz o ditado “quem não chora, não mama”, ela, às às vezes, encontra-se menosprezando e ressentida com Nick, mas com certeza, ela o ama.

Você pode realmente perceber o amor na família. Mesmo destruturados e danificados, há amor nesta família. Acho que às vezes Alicia quer sair e ficar longe de tudo isso e ser ver livre de todo o drama.


Por que as pessoas vêm nesta família algo de comum a delas?

O que torna esta família tão vulnerável a comparações é o fato de que são dois lares defeituosos que se unem para tentar formar uma família novamente. Não é uma tarefa fácil. Há uma abundância de divórcios reestruturados, novas famílias, em todo lugar, e o público vai se identificar com essas lutas.

Como está esta família no início da série?

Nós encontramos esta família no início da queda da sociedade. Eles vivem as lutas cotidianas, o dia-a-dia, como “todos nós”, e ainda assim, de repente, eles estão enfrentando o início do apocalipse. Ninguém tem uma resposta; tudo está fora de controle, e é horrível. Eu acho que é o pior pesadelo para a maioria das pessoas, com qualquer desastre natural, é o fato de não termos nenhum controle, nenhum conhecimento, nenhum poder, e no show nós somos isentos dessas coisas. Todos nós poderíamos morrer, e os nossos vizinhos estão mudando, bem na nossa frente. Eles não se parecem com criaturas de outro mundo – eles se parecem com um de nós. Os “caminhantes” em nossa série são “mais recentes.” Eles são mais reconhecíveis como humanos, como um de nós; eles apenas se parecem um pouco diferente, e isso é mais assustador.

O que vai ser diferente para os fãs de The Walking Dead quando assistirem Fear?

Quanto aos personagens, estamos mais atrasados que o público. Nós não temos nenhuma informação que eles têm, então eu imagino que o público vai estar gritando para nós, através da televisão, nos dizendo “Não vá lá!”. Mas eu acho que eles também têm compaixão por esses personagens que estão lutando e usando todos os seus instintos para descobrir e resistir a essas circunstâncias. Vai ser interessante observar dessa maneira.

O que está no centro da história?

Eu acho que o coração da história é a família, e as situações enfrentadas por elas. Como as circunstâncias desafiam o centro destas famílias e o que pode uni-las ou separá-las. Eu acho que para Madison, trata-se principalmente de como salvar sua família, e o pior que poderia acontecer seria perdê-los.

Qual é o medo de Madison, antes do conhecimento do percebido surto?

Ela tem receio de que sua família imperfeita seja um impedimento, e alguém como Travis pode não querer lidar com todas as questões pertinentes a relação. Eu acho que esses são os seu medos e inseguranças. Felizmente Travis é do tipo “topa tudo”. Travis e Madison estão nesta luta juntos. Nós estamos sobrevivendo, mesmo antes do apocalipse. Desta forma esse desastre pode mantê-los juntos – ou não.

Como é trabalhar com Adam Davidson como diretor?

Eu adoro o Adam Davidson. Ele dirigiu o programa piloto e os episódios dois e três. Ele é um diretor incrível. Trabalhei com ele pela primeira vez em Deadwood, e, em seguida, em Treme. Ele é um diretor muito compassivo e também foi ator. Ele estudou com Stella Adler, e por isso tem algumas idéias muito boas, e também nunca se esquece de qualquer momento único para o ator. Ele mantém as coisas realmente humanas e reais em cada momento. Ele é muito perceptivo e mantém os personagens muito inteligentes. Há um monte de amor criativo nesta profissão, e é isso que Adam tem – um coração enorme. Ele é a peça perfeita para nós.

***

Fear The Walking Dead estreia dia 23 de agosto de 2015 e terá seis episódios com uma hora de duração cada. A série já tem segunda temporada garantida e chegará ao Brasil pelo canal AMC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário