sábado, 2 de maio de 2015

The Walking Dead - A morte de Glenn em The Walking Dead: Uma questão de honra


Por: Lidiane Fidelis (site Walking Dead BR)

ATENÇÃO: O post a seguir contém grandes spoilers dos quadrinhos de The Walking Dead. Caso não queira ter as surpresas do decorrer da trama reveladas, não continue. Você foi avisado!

A imparcialidade na escrita sobre o mundo de The Walking Dead é algo extremamente necessário, pois alcançará um público apaixonado de leitores que tem uma opinião própria formada sobre as questões abordadas nas postagens.

É desta forma que procuro trabalhar no conteúdo das matérias que me são designadas e aqui publicadas. Porém, esta postagem em especial terá um caráter de cunho pessoal.

Glenn (Steven Yeun) não é o meu personagem favorito, mas, ao mesmo tempo, ele não está na minha lista dos menos queridos. Ele fica no espaço que considero o mais importante: o que se refere ao comportamento e atitude que faz com que um personagem ganhe ou perca a minha afeição.

Descrevo melhor ao expressar que não gosto do Glenn da quarta temporada da série, mais precisamente do comportamento, que considero como egoísta, naquela busca desenfreada dele por Maggie (Lauren Cohan). Não tem amor que seja usado como justificativa que me faça compreender as atitudes de Glenn.


Porém, confesso que teve um único momento na estação acima citada que fez com que eu olhasse com carinho para Glenn: quando ele deixou de lado a sua busca e se colocou em risco para não abandonar Tara (Alanna Masterson) presa naquele túnel a mercê dos errantes.

Ali estava a essência do personagem! Mesmo que ela tenha desaparecido com a chegada da quinta temporada, opiniões podem ser mudadas quando se tem um bom ator por trás de um personagem. Digo isso, porque ver Steven interpretar Glenn, sentado, preso em uma porta giratória, e impotente ao que acontecia bem ao seu lado, em uma atuação silenciosa, me fez se importar e me afeiçoar novamente ao personagem.

Considero importante para o conteúdo textual que os leitores conheçam o meu atual posicionamento quanto a Glenn, para que eu possa prosseguir e trazer um assunto que girou em torno de toda a última temporada, com a presença constante de bastões de beisebol, e que cada vez mais se aproxima: a morte de Glenn.


Posso me importar com o personagem no momento, mas sua morte na série não me faria lamentar, caso ela venha a ocorrer dentro de uma boa escrita. Na verdade, anseio por bater palmas neste momento, não porque desejo a saída de Glenn, mas, sim, por esperar ver a boa atuação de Steven e poder aplaudi-lo pelo que pode e, com certeza, fará em cena.

Por pensar desta forma, sinto um desconforto quando leio algo como “a morte de Glenn deve ser dada a Daryl”. Não há como negar a forte presença que o personagem de Norman Reedus tem na série, mas não considero essa importância dele, merecidamente ganha pelo trabalho e carisma do ator, como uma razão para que esta grandiosa morte seja dada a ele.

Como uma leitora dos quadrinhos, vivi toda a expectativa em torno da comemorativa edição nº 100 dos HQs. Para celebrar este momento, algo surpreendente estava por vir, mas em nenhum momento pude imaginar a grandiosidade do que foi apresentado naquela revista.

Quantas mortes já haviam acontecido até aquele momento nos quadrinhos, mas, em uma opinião pessoal, nenhuma teve o cenário único criado por Robert Kirkman como foi para a morte de Glenn. Isso se deve, também, à introdução daquele que era considerado um “mito” ou até mesmo alguns achavam que ele nem mesmo existia – Negan em pessoa estava se apresentando a Rick Grimes.


Por mais que se diga que Daryl como protagonista nesta morte afetaria bastante Rick, os quadrinhos mostram como o líder se torturou e como o acontecimento afetou o grupo, nascendo um forte desejo de vingança e uma nova forma de atacar o inimigo. Daryl salvou Rick em várias ocasiões, mas isso não o torna digno de receber esta morte em especial.

Glenn foi a segunda pessoa com quem Rick teve contato e quem o retirou das infestadas ruas de Atlanta. Ele se importou com as pessoas e se colocou em risco na busca por suprimentos de forma a ajudar o grupo e, também, pessoas desconhecidas. Por mais que a essência dele tenha se perdido em alguns momentos, Steven Yeun acabou por recuperá-la nos últimos episódios da quinta temporada.

Por estas razões, considero uma questão de honra para o ator e seu personagem, para os leitores e telespectadores, e até mesmo com o criador dos quadrinhos, que a morte de Glenn seja adaptada de forma fiel para a série e não ser dada a outro personagem.


Enfim, coloco aqui com toda sinceridade a minha esperança que os produtores e roteiristas não desviem este momento por outro caminho, e que, novamente, eu não venha a sentir as frustrações já experimentadas em outras ocasiões. Assim, como eles apreciam uma adaptação o mais próximo possível dos quadrinhos, que este seja um item que eles considerem como uma questão de honra para a série.

Finalizo voltando a dizer que esta é uma opinião pessoal, acrescentando que respeito os que têm um posicionamento contrário quanto ao assunto e desde já solicitando uma exposição respeitosa das opiniões nos comentários que possam vir a existir a partir do conteúdo deste texto.

The Walking Dead irá retornar com a sexta temporada em outubro de 2015 na AMC e na FOX Brasil. O trailer da temporada, bem como a data oficial de lançamento, será divulgada durante a Comic Con de San Diego em julho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário