terça-feira, 14 de abril de 2015

[REVIEW] Zombie Army Trilogy


Zombie Army Trilogy é a compilação de dois spin-offs da série Sniper Elite, mais um terceiro capítulo inédito. Trata-se de um jogo de tiro em terceira pessoa, com temática de apocalipse zumbi na Segunda Guerra Mundial, com versões para Playstation 4, Windows e Xbox One. Com foco no multiplayer, o título impressiona pela diversão, mas apenas se você jogar com os amigos. Confira o Review feito pelo pessoal do site TechTudo.
  
Zumbis Nazistas do Inferno… remasterizados

Zumbis nazistas já estiveram sua quota de participação em jogos como Call of Duty, South Park e em muitos outros. Mas eles de volta em mais um jogo spin-off da série Sniper Elite. O game começa de forma extremamente abrupta. Após conferir uma pequena cinemática onde Adolf Hitlter decide iniciar o “Plano Z”, você é chamado para a batalha.

Zombie Army Trilogy reúne as três DLCs remasterizadas de Zombie Army. São elas: Sniper Elite: Nazi Zombie Army 1, Sniper Elite: Nazi Zombie Army 2 e o inédito, Zombie Army 3. Ao todo são 15 fases espalhadas nestas três campanhas.

Em Zombie Army Trilogy os zumbis foram ressuscitados pelo demônio (Foto: Divulgação)

Os inimigos serão sempre zumbis. Mas em Zombie Army Trilogy, temos uma boa variação do tema. Os zumbis deste jogo podem usar armas e correr, e alguns deles correm bastante, principalmente os que possuem explosivos. Outro elemento diferencial é que não há um vírus infectando as pessoas, em Zombie Army, os zumbis são ressuscitados em um ritual demoníaco.

Jogabilidade satisfaz quem procura um jogo de tiro casual

O jogador pode escolher entre oito personagens sendo um deles o protagonista da série Sniper Elite, Karl Fairburne. Solto em uma pequena fazenda sinistra no meio da noite, você repara que há um novo inimigo para enfrentar. A partir daí, o jogador está entregue à ingrata missão de matar centenas de zumbis. Não há diálogos ou qualquer questionamento sobre o que está acontecendo, nem mesmo ao completar uma missão e encontrar os companheiros no final de cada fase.

Essas lacunas na história e total falta de desenvolvimento da mesma, deixa Zombie Army Trilogy, um game muito ruim de jogar sozinho. Além disso, os desafios são muito repetitivos, sendo em sua maioria, apenas acessar áreas repletas de zumbis e matar todos eles.

Multiplayer é o foco do jogo, jogar sozinho é monótono (Foto: Divulgação)

Para uma tarefa repetitiva, como matar milhares de zumbis, ter controles ruins não seria agradável. Felizmente, Zombie Army Trilogy não sofre desse mal. O game, assim como a franquia de onde se originou, possui controles excelentes. E eles serão muito requisitados, já que o jogo possui ação frenética, com zumbis sempre pertinho de você. São poucas as partes em que o jogador tem tempo para treinar tiros de longe alcance.

Embora tenha foco no tiroteio de curto alcance, ainda são os tiros à distância os que mais divertem. Ao serem executados com perfeição, a cena entre em “câmera lenta” e o jogador pode ver a bala perfurar os malditos zumbis nazistas. A violência é o lema principal e em poucos minutos você já vai estar calculando como matar mais zumbis com apenas um tiro, ou como explodir vários deles com uma granada.

Violência do jogo é extrema (Foto: Divulgação)

A quantidade de armas é satisfatória, mas faltou uma descrição melhor sobre elas. Apenas atirando é que o jogador sabe como elas se comportam, qual o seu poder de fogo e quais delas podem ou não atravessar vários zumbis, permitindo ao jogador fazer combos divertidos.

Jogar sozinho é uma tarefa ingrata. Não são poucos os momentos onde percebe-se que as missões têm foco no multiplayer e no modo cooperativo. Contudo, o jogador perceberá isso melhor durante as batalhas contra os chefes de cada capítulo. Nesses combates contra os inimigos mais fortes, são quase impossíveis de vencer sozinho.

No PC, o jogo surpreende por rodar até em computadores sem placa dedicada (Foto: Reprodução / Dario Coutinho)

O jogo possui apenas dois modos: Campanha e Horda. No modo Campanha, você enfrentar as 15 missões, podendo jogar sozinho, com os amigos em uma partida privada ou jogar com outros jogadores através da opção “Partida Rápida”. O modo Horda é apenas um modo onde os zumbis vem em “ondas” e você, junto com seus amigos, pode detoná-los.

Zombie Army Trilogy suporta partida de até quatro jogadores online em ambos os modos. Jogando sozinho, a quantidade de zumbis e “X”, mas ao jogar com mais três amigos a quantidade será “4X”, o que deixa o multiplayer muito intenso, com centenas de zumbis para matar. Mas também, é o que torna a jogatina com amigos muito mais divertida.

Potencial desperdiçado

A união do tema Segunda Guerra Mundial, mais zumbis e com um bônus de passagens bíblicas e referências ao satanismo, poderiam ter dado fruto a um jogo muito mais sombrio e macabro. Algo que poderia até mesmo se desatrelar da série Sniper Elite e virar uma franquia própria. Porém, Zombie Army Trilogy se entrega à ação banal.

Falta de história decepciona quem vai jogar sozinho (Foto: Reprodução / Dario Coutinho)

Em pouco tempo, a jogabilidade de Zombie Army Trilogy fica muito repetitiva, resumindo-se a detonar zumbis, encontrar uma área segura, se rearmar, e procurar mais zumbis para matar. Não há qualquer tipo de desenvolvimento da história. Apenas o terceiro capítulo guarda uma surpresa.

Há alguns bugs no modo multiplayer. Jogando no PC, é possível ver alguns zumbis travados na sua animação de emergir das profundezas e, às vezes há bugs nos headshots, mantendo os zumbis “vivos”.

Gráficos razoáveis

Rodando sobre uma engine melhorada de Sniper Elite III, Zombie Army Trilogy possui os mesmos gráficos desse jogo. A ambientação gráfica do jogo é excelente, mas apenas na nova geração de consoles, a remasterização dos títulos anteriores será percebida.

Mas no PC, a engine do jogo mostrou uma adaptação fora de série, permitindo que o game rode até mesmo em computadores que possuem apenas placas de vídeo “OnBoard”. As configurações de gráficos, no PC, são simples de serem ajustadas.

Para deixar o jogo mais macabro, você pode optar por um modo com visual Noir (Foto: Reprodução / Dario Coutinho)

O fato do jogo rodar bem em computadores medianos com, por exemplo, placas de vídeo onboard da Intel Graphics, o torna convidativo para quem gosta de filmes de terror mas nunca experimentou um shooter como esse.

Já o áudio, parece uma brincadeira dos produtores. Os zumbis podem estar a um quilômetro de distância e o grunhido deles parece ter saído do seu lado. A música cativa por saber adicionar no momento exato uma tensão extra.

Conclusão

Zombie Army Trilogy é enjoativo e muito repetitivo para aqueles que optam por jogarem sozinhos. A diversão está no modo cooperativo, onde você fica vendo o desempenho dos seus amigos e pode até salvá-los. O desafio varia conforme a quantidade de jogadores, mas mesmo com bons gráficos, faltou uma boa história.



Via: Techtudo

Nenhum comentário:

Postar um comentário