domingo, 29 de março de 2015

The Walking Dead 5ª Temporada: Steven Yeun fala sobre o grande confronto entre Glenn e Nicholas


[ATENÇÃO!! ESTE CONTEÚDO CONTÉM SPOILERS DO EPISÓDIO S05E15 – “TRY“!]

Steven Yeun tem arrasado em The Walking Dead. Glenn não apenas se sobressaiu como um líder semana passada, mas também teve que assistir horrorizado a cena de um dos seus amigos sendo devorado vivo por zumbis enquanto estava preso em uma porta giratória. Yeun impressionantemente deu tudo de si nesta cena, mas ele ainda tinha muito a mostrar no episódio dessa semana “Try”.

Primeiramente, vimos Glenn contando para Rick os eventos que tinham acontecido com Noah e Nicholas. Mas enquanto o Rick “tolerância zero” estava prestes a se revoltar contra os moradores de Alexandria, Glenn surpreendentemente se conteve. No entanto, o melhor trabalho de Yeun apareceu mais tarde, em um confronto tranquilo, porém poderoso com Nicholas (interpretado por Michael Traynor) perto da van. Após Glenn mandar Nicholas nunca mais ultrapassar os portões de Alexandria devido à morte das pessoas causadas por sua covardia, vimos o seguinte diálogo:

NICHOLAS: “Quem diabos você pensa que é?”
GLENN: “Sou alguém que sabe quem você é. Eu sei o que você fez. E isso não vai acontecer de novo… Não esqueça o que eu disse.”
NICHOLAS: “Você está me ameaçando?”
GLENN: “Não, eu estou te salvando.”

Yeun mandou ver no confronto, mostrando ao mesmo tempo a força e misericórdia de Glenn. A Entertainment Weekly conversou com o ator para saber o que ele tem a falar sobre estas duas cenas cruciais.


EW: Vimos esta cena no início do episódio entre Glenn e Rick, onde Glenn está lhe contando o que aconteceu, e Rick está prestes a tomar uma atitude violenta enquanto Glenn – que tem todos os motivos para fazer o mesmo – não o faz. Depois que Rick diz: “Nós não respondemos por eles”, Glenn responde: “Nós somos eles, Rick. Agora nós somos. Temos que fazer isto dar certo”. Como ele encontrou dentro de si motivos para não explodir naquele momento?

Steven Yeun: Não é que ele não esteja com raiva. Ele está chateado, completamente devastado, destruído, e ele vê que Rick também está assim. Ele é completamente capaz de processar isso. Mas acho que o choque do momento de horror na porta giratória – assistindo a inocência da vida o destruir completamente – ele faz uma escolha naquele momento para entender que Alexandria pode ser a chance de corrigir os erros. Pode ser uma chance para continuar vivendo, e ele vê que qualquer desequilíbrio existente em Alexandria pode levar a escolha errada. Ele quer que aquele lugar dê certo. Ele quer que o lugar tenha capacidade de dar-lhes a vida e segurança. Ele quer que o lugar, de alguma forma, seja uma espécie de homenagem a Noah.

Quando Noah disse “não solte”, eu sei que é fácil para várias pessoas ignorar o que esta frase significa literalmente, mas se você assistir a performance de Tyler, pode observar seu desempenho em dizer a Glenn naquele momento que ele aceita seu destino. E ele diz para não desapegar do que é Alexandria. Não desapegue do que você é como ser humano – a esperança intrínseca que você tem e seu otimismo. Isso é tão valioso neste mundo quanto a capacidade de agir selvagemente, então eu acho que é aí onde eles estão agora.


EW: Vamos falar sobre a grande cena entre Glenn e Nicholas. Qual é a intenção de Glenn quando ele se aproxima de Nicholas? No primeiro momento, parece um confronto – e certamente há um quê de confronto – mas se torna algo muito maior. Descreva a cena para mim a partir de sua perspectiva.

Steven Yeun: Se você quiser justapor esta cena com aquela que acontece mais cedo com Rick, definitivamente Glenn não está feliz. Ele com certeza entende que Alexandria não é perfeita e que custou a vida de alguém que ele gostava. Independente do preço a se pagar, ele entende o lugar como um local que ele ainda precisa trabalhar para Noah, Maggie, e todos que estão lá. E por conta disso ele se aproxima inicialmente de Nicholas com muita raiva (porque ele fez o que fez). E Glenn é uma pessoa normal que não pode se deixar levar por estes impulsos. Então ele percebe que sente pena, e não raiva – ele sente pena das pessoas que têm vivido lá.

Isto é um espelho para ele também (tanto quanto Noah era um espelho também), que refletia uma versão anterior dele mesmo. Eu acho que Nicholas é uma versão bizarra de Glenn também, para ver o que ele poderia ter se tornado se ficasse preso em uma gaiola com paredes que faz ele pensar que o mundo está indo muito bem e você pode agir nele com segurança, e não se preocupar com o lado de fora. Ele não sabe. Ele é patético. Assim, para Glenn, por que matar uma formiga? Por que matar uma mosca? Ele não sabe o que está fazendo. Em vez disso, durante esta conversa em particular, ele está tentando dizer a Nicholas: “Eu entendo o que você é. Você sabe o que você é. Então vamos deixar desse jeito. Você tem sorte de estar vivo e tem sorte de estar aqui. E você tem sorte de não estar morto. E eu não vou te matar. Eu não farei nada disso, mas é melhor você não sair, porque você é um passivo e você matou meu amigo. E se você fizer isso de novo, acredite, não haverá outra chance. É assim.”

EW: Sim, eu amo sua atuação nessa última fala, que você diz “Eu estou te salvando”. Ela saiu com a mistura perfeita de pena e nojo. Como você e Michael se saíram trabalhando nessa cena juntos?

Steven Yeun: Nós apenas deixamos a cena se tornar orgânica. Michael Traynor é um ótimo ator. Mas também, para alguém que está em um seriado como o nosso, você pode entrar e olhar para ele como “Está é a minha oportunidade de ser um personagem legal”, ou dizer “Ei, eu vou me empenhar com o momento e tentar torná-lo um personagem icônico” ou algo do tipo. Mas Michael incorporou a parte patética de si e a parte patética do personagem, e não vacilou. Ele nunca disse “Ai, eu não quero ser patético – me faz parecer mal”. Ele foi com tudo. E por conta disso, as pessoas podem até não gostar de seu personagem, mas você não pode falar nada de ruim sobre o que ele fez e o que ele faz. Assim, para esta cena em particular, nós atuamos o mais real quanto podíamos, dadas as circunstâncias e os personagens. Ele é incrível, então a cena fluiu naturalmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário