terça-feira, 17 de março de 2015

O derivado de The Walking Dead começará como um prelúdio para depois alcançar a série original


Robert Kirkman soltou alguns detalhes sobre a série derivada de The Walking Dead que já é ansiosamente aguardada, e também falou um pouco da DC Comics e até mesmo da TV como mídia.

Aparecendo em um painel chamado “Ativismo Criativo” na conferência South by Southwest em Austin no último sábado, o escritor e produtor foi questionado sobre como seu novo spin-off se encaixará criativamente nos quadrinhos e na série já existente, The Walking Dead.

“Não terá qualquer relação com os quadrinhos”, disse Kirkman. “Desde o começo da série nós sempre ouvimos ‘o que está acontecendo aqui e ali?’. Então a ideia da nova série é expandir esse mundo e mostrar outro canto dos Estados Unidos e o que está acontecendo lá. A linha do tempo ocorre um pouco antes da série original. Rick Grimes acordou do coma e estava tipo ‘cara, zumbis, que estranho!’. Nós vamos possivelmente ver isso se desdobrar um pouco mais na outra série. Mas eu não a chamaria de ‘prequel’ porque a totalidade da série não vai se passar antes [de The Walking Dead]. Eventualmente ela vai formar um caminho que corre simultaneamente.”

Que as duas séries eventualmente se desenrolem ao mesmo tempo é definitivamente interessante, porque abre portas para a possibilidade de personagens cruzarem entre as séries. Kirkman sugeriu que podem existir narrativas conectadas entre as duas séries, mas só citou elementos que existiriam na mente do espectador, e enfatizou que as séries se manteriam por conta própria.

Aqui está a explicação que ele deu:

“Uma coisa que estamos fazendo com a nova série, que estamos tentando com tudo, é que não seja derivada. Ela se mantem sozinha. Você pode assistir apenas ela e ter sua própria experiência. Mas se você está assistindo as duas séries, tem coisas como ‘Oh, eles descobriram isso, ou eles descobriram aquilo de uma maneira diferente’. Tem muitas coisas do mundo de The Walking Dead que esses personagens precisam aprender ou entender para sobreviver. E pode ter coisas que são descobertas na série parceira que não foram descobertas na outra ainda. Então pode haver algo aí, ‘Oh, eles encontraram um zumbi na quarta temporada de The Walking Dead que podia fazer tal coisa, e agora sabemos o porquê’. Então nós faremos coisas assim que serão bem legais, mas na maior parte [das séries] elas devem conseguir se manter por conta própria.”


“E então nós vamos fazer um cruzamento para um filme dos Vingadores e vai ser incrível”, ele brincou (ou não).

A série derivada recentemente teve a segunda temporada encomendada pela AMC. Ela vai estrear com seis episódios de uma hora na AMC no final do verão americano. E o nome? Ainda será revelado. “Nós vamos chamá-la de Walking Dead CSI: Miami”, disse Kirkman.

Também pediram que Kirkman comentasse como Marvel e DC Comics gerenciam seus respectivos impérios, e ele hesitou: “Eu vou criar problemas aqui… Qualquer um seria tolo de pensar que a Marvel não fez algo extremamente especial. Eu acho que o Homem de Ferro terminar com uma aparição surpresa de Samuel L. Jackson mencionando Os Vingadores – você fica ‘Que?! Como isso aconteceu?!’. As pessoas esquecem que era uma surpresa. Tudo que saiu daquilo foi muito orgânico e empolgante. Eu acho que [a DC] anunciar que farão um filme da Liga da Justiça depois de um filme do Super Homem, isso foi bacana e teve coisas legais nisso, mas não foi incrível ou inovador – eu não deveria falar isso. Foi um filme ótimo, eu gostei. [O plano] parece ser derivativo, então coloca eles no banco de trás da Marvel. Não é orgânico, então vai ser examinado minuciosamente quando Batman vs. Super Homem for lançado. É uma batalha ladeira acima. Se eles não tivessem falado se a Liga da Justiça apareceria ali, e eles estavam formando aquilo, seria surpreendente e empolgante e estranho. As pessoas estão esquecendo como a surpresa é importante. Mas você sabe, o Aquaman parece fantástico e eu tenho certeza de que será incrível.”

E sobre os quadrinhos versus a série? “Eu prefiro trabalhar nos quadrinhos. Eu acho que as outras pessoas acham que TV é incrível. E certamente tomando pelos números, mais gente assiste TV. Mas quadrinhos são melhores – vocês só não perceberam isso ainda” ele disse, ganhando aplausos.

*A AMC quer que a série seja chamada de “série parceira” porque tecnicamente não é um spin-off, já que a nova série tem um elenco completamente novo, mas Kirkman usou os termos de maneira intercambiável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário