domingo, 8 de março de 2015

Conheça a rainha de Alexandria! Tovah Feldshuh fala sobre Deanna em The Walking Dead


[ATENÇÃO!! ESTE CONTEÚDO CONTÉM SPOILERS DOS QUADRINHOS E DO EPISÓDIO S05E12 – “REMEMBER“!]

The Walking Dead fez um grande remix dos quadrinhos no episódio do último domingo (01/03), quando Rick e seu grupo de sobreviventes foram recebidos em Alexandria, onde eles conheceram Deanna, a líder da comunidade.

O papel foi originalmente escrito como um homem, Douglas, nos quadrinhos de Robert Kirkman nos quais a série é baseada. Sob o showrunner Scott M. Gimple – ele mesmo um grande fã do material de fonte – a série ganhou uma grande reviravolta no personagem com a introdução de Deanna Monroe, interpretada por Tovah Feldshuh, duas vezes indicada ao Emmy (“Law & Order”, “Holocaust”).

Deanna é uma ex-membro da Câmara dos Deputados dos EUA, e tem uma abordagem justa no que diz respeito a administrar sua comunidade – e imediatamente tem funções para Rick e companhia. Ela tem consciência de que sua comunidade – que esteve atrás de muros desde o surto e não vivenciou os horrores do novo mundo – é suscetível às ameaças exteriores, e vê em Rick o músculo, nomeando ele (e Michonne) como policiais de alto escalão. Isso vem depois que ela analisa cuidadosamente todos do grupo (gravando em vídeo, inclusive) e atribui funções na comunidade para todos (Exceto por Daryl, que se recusa a tomar banho e parece estar esperando as portas do inferno se abrirem novamente).

É claro, nem todos estão tão ansiosos para que o grupo de guerreiros desconfiados da estrada se junte às fileiras de Alexandria. Enquanto Jessie (Alexandra Breckenridge) se interessa imediatamente por Rick, seu marido Pete não retribui o favor, enquanto seus filhos rapidamente levam Carl para seu grupo, que também inclui Enid (Katelyn Nacon), uma adolescente traumatizada que também chegou há pouco tempo e não está muito feliz em ficar.

O Hollywood Reporter conversou com Feldshuh sobre assumir o personagem dos quadrinhos, que tipo de ameaças podem estar à frente e a perda que pode vir nos episódios restantes da quinta temporada.


Hollywood Reporter: Você está assumindo um personagem que era um homem nos quadrinhos. Que tipo de conversas você teve com os produtores sobre quanto dos atributos daquele personagem Deanna teria?

Tovah Feldshuh: Eu fiz um papel assim em Law & Order: Criminal Intent que foi pensado como Daniel Melnick e acabou se transformando em Danielle Melnick. Eu fui tirada de Galápagos de avião para começar a filmar; eu não sabia que tinha ganhado o papel, eles não conseguiam me encontrar. Eles me encontraram e negociaram quando eu estava velejando por aí observando a evolução genética darwiniana convergente e divergente. Eles me buscaram para chegar em Atlanta na segunda-feira. Eu conheci Greg Nicotero e Scott Gimple, repassei o roteiro, experimentei o figurino e comecei a filmar uma cena de 10 páginas no dia seguinte. Eu dei a eles o meu ponto de vista sobre o que ela representa – ela está trazendo de volta uma civilização benevolente e o que isso significou para trazer de volta a cultura e a possibilidade de melhorar vidas, porque, de repente, você tem tempo para garantir que não será morto. E o que acontece sobre a ingenuidade de Deanna sobre toda essa situação. E isso segue, ela teve muita sorte que a comunidade deles não foi atacada por zumbis.

Hollywood Reporter: Que tipo de líder é Deanna? Julgando por sua estreia, ela parece saber que Alexandria é fraca.

Tovah Feldshuh: Ela é o cérebro. Ela é o civilizado e a inteligência e precisa do corpo e da força muscular, e é por isso que ela quer que Rick e seu grupo de personagens interessantes venham para seu complexo, mas não sem antes serem cuidadosamente avaliados. Ela precisa do músculo e sente que juntos, Rick pode dar a ela segurança e ela pode dar a ele cultura – um guardanapo em sua mesa, um chuveiro e um teto sobre sua cabeça, e algum alívio do medo. Desde que essas pessoas não sejam arruaceiros – como ela diz no episódio. [Deanna e as pessoas de Alexandria] tiveram uma experiência ruim antes, as pessoas precisam ser analisadas e ela é meticulosa e minuciosa quanto a isso. Ela esteve na Câmara dos Deputados dos EUA representando Ohio, e dirigiu uma comunidade antes disso. Ela é uma humanista evoluída e Rick é um humanista evoluído à sua própria maneira. O fato de que eles estavam passando fome e não mataram e comeram uns aos outros foi algo grande para Deanna observar no final de seu curso. Eles nunca se voltaram e começaram a eliminar os fracos. Deanna está aqui para gerar esperança de ressurreição da civilização.


Hollywood Reporter: Nós poderemos conhecer as pessoas que foram exiladas de Alexandria? Que tipo de pessoas eles eram?

Tovah Feldshuh: Nunca foi explicado, mas eles eram muito perigosos para o grupo. Exilar sob essas circunstâncias praticamente significa morte certa. As pessoas não poderiam existir sozinhas nessa selva de The Walking Dead, eles não vão sobreviver. Ela se livrou deles, mas não cometeu assassinato – ela disse que não pode chegar a tanto – mas ela não levantou uma mão, cortou uma garganta ou atirou em um coração. Isso se torna uma batalha grande e difícil depois. Rick é a mente prática e Deanna é a mente idealista. Não é Alexandria por engano; é obviamente nomeada em homenagem à cidade egípcia famosa pelas maiores bibliotecas de seu tempo.

Hollywood Reporter: Quanto você leu dos quadrinhos para se preparar pro papel?

Tovah Feldshuh: Eu não li os quadrinhos; eu li tudo sobre Hillary Clinton e grandes mulheres, Margaret Thatcher. Eu a conheci antes que ela fosse a “Dama de Ferro”, deu um discurso sobre notas e foi excepcional. Então eu olhei para minhas próprias representantes em New York – Nita Lowey – uma maravilhosa democrata que é muito alerta. Eu continuei procurando por pessoas que naturalmente queriam devolver para a comunidade.

Hollywood Reporter: Rick e Michonne (Danai Gurira) receberam cargos de alto escalão como guardas em Alexandria. Como a abordagem de liderança deles vai se chocar com Deanna?

Tovah Feldshuh: Deanna não permite armas dentro dos muros, então isso é difícil pra eles. Tem uma parte deles onde eles têm tanta experiência de batalha que eles acham que ela está correndo um risco terrível. À medida que a série avança, você verá se Deanna está ou não. Mas eles não se entrosam facilmente e esse é o desafio da quinta temporada – o que isso significa, como nós nos adaptamos e como fazemos isso verbalmente? Nós não vamos pegar em armas. As pessoas de Deanna não tem a mais vaga ideia de como atirar com uma arma. Eles são capazes, mas não bem versados. Quanto maior o obstáculo, mais interessante a cena e a série. Existem muitos grandes obstáculos entre a maneira como Rick vê o mundo e sua experiência de como é fora dos portões, e a maneira de Deanna ver o mundo a partir do lado de dentro. O povo de Alexandria viveu em segurança – ou a ilusão de segurança. A questão é: estamos à beira do desastre ou vamos viver o resto da temporada sãos e salvos? Isso será dito nos próximos episódios.

Hollywood Reporter: Você acha que as pessoas que Deanna baniu de Alexandria são uma ameaça à segurança da comunidade?

Tovah Feldshuh: Para ter alguma empolgação, teremos alguns problemas que eles precisam encarar e alguns deles são urgentes. Na forma como The Walking Dead faz com excelência, teremos algumas perdas.

O que você achou de Alexandria até agora? Deixe sua opinião nos comentários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário