segunda-feira, 23 de março de 2015

Alanna Masterson fala sobre porque “uma hora todo mundo vai embora”


Tara foi nocauteada no último episódio. Mas nós queremos respostas! Alanna Masterson participou de uma entrevista ao Entertainment Weekly Radio (SiriusXm, canal 105) e falou sobre os recentes acontecidos da série, se ela dormiu em suas cenas de coma, se ela se preocupa com a salvação a longo prazo de sua personagem e mais. Aqui estão algumas partes da entrevista.

Entertainment Weekly Radio: Me diga como foi filmar aquela cena maluca no depósito no último episódio.

Alanna Masterson: Nós estávamos com muita energia e houve muito improviso naquela cena, principalmente em diálogos curtos. E o sinalizador que o Nicholas soltou foi o mais divertido. Foi filmado no fim do dia e tinha um grande fio onde o sinalizador estava amarrado para que ele pudesse chegar no final e explodir na caixa cheia de zumbis. Foi um dia super, super empolgante e, óbvio, eu estou em coma e deitada numa grande piscina de sangue que acho que eles não mostraram.

Entertainment Weekly Radio: Você ficou em coma em grande parte do episódio, e uma simples cena é gravada várias vezes de vários ângulos diferentes, então você só teve que ficar ali deitada. Você dormiu?

Alanna Masterson: É engraçado, nós gravamos aquela cena do celeiro onde nós estávamos dormindo na cena. E com certeza algumas pessoas adormeceram porque nós ficamos deitados lá por horas. Você pensa “Bem, acho que posso tirar um cochilo”. Eu na verdade achei mais difícil fazer essa cena porque eu queria muito rir. Não sei o que era, mas é difícil fechar o olho, se concentrar e não falar nada. E se alguém fala alguma coisa engraçada você quer sorrir, mas você tem que ficar parada e não pode parecer que está se mexendo, então essas cenas são bem difíceis. E especialmente quando você está contracenando com o Josh onde os zumbis estão vindo em sua direção e ele tem um ataque de pânico e não sabe consegue puxar o gatilho. Ele estava se tremendo e respirava alto e eu só queria poder rir porque ele é meu amigo e aquilo foi muito engraçado, mas você tem que manter a compostura.


Entertainment Weekly Radio: Como foi ter que dar adeus a Tyler James Williams?

Alanna Masterson: Naquele dia em que Tyler estava na porta giratória nós estávamos todos chorando. Não importa se você trabalhou com a gente em seis episódios ou por dois ou cinco anos, você desenvolve um forte laço com essas pessoas e eles passam a ser seus amigos de verdade. Por isso a gente sempre brinca perguntando, “Você vai chorar quando eu morrer?” A gente pergunta isso porque é bem difícil. É por isso que nós acolhemos bem cada um que entra na série, porque não sabemos ao certo por quanto tempo ficarão.

Entertainment Weekly Radio: Quão preocupada você está com a segurança de sua personagem? Você se preocupa em receber ‘aquela’ ligação do showrunner Scott Gimple?

Alanna Masterson: Eu peço para ele me mandar uma mensagem toda vez antes de ligar, porque se o celular toca e eu vejo o nome dele eu penso “Oh-oh”. Por isso ele me manda uma mensagem. Mas essa é a natureza da série. É interessante porque se você olhar para Emily ou Chad ou Tyler e para as outras pessoas que se foram nessa temporada – suas mortes fizeram bem para eles. As pessoas se aproximam dos personagens e não param de pensar e lembrar deles, por isso sei que mais cedo ou mais tarde eu terei que deixar a série. Acho que isso acontecerá com todos. Por isso eu só tento aproveitar cada episódio. Mas, sim, dá um nervosismo.


Entertainment Weekly Radio: Com um elenco tão grande é necessário muito tempo para mostrar todos os personagens, por isso algumas vezes vemos que alguns personagens não aparecem muito. Como você lida com isso?

Alanna Masterson: Olhando a primeira metade dessa temporada você percebe que por uns três episódios eu não falei nada. Não é porque o Scott Gimple pense, “Ok, ótimo. Não gostamos mais da Alanna. Não vamos dar falas a ela.” Literalmente toda manhã eles fazem uma reunião com 16 de nós sobre as gravações do dia. Isso faz parte da série e a melhor parte é que você ainda se sente parte da série só por estar presente, mesmo que não fale nada, mas em estado de espírito – isso mostra que você sabe trabalhar em equipe. Tome como exemplo a Melissa McBride. Por algumas temporadas Carol quase não tinha falas. A mesma coisa com Emily, que fazia a Beth. Até mesmo o Norman só diz uma ou duas coisas em alguns episódios. Você tem que saber que até mesmo os protagonistas da série algumas vezes não têm muitas falas em certo episódio, por isso eu sendo a novata não posso chegar e dizer “Ei, cadê meus diálogos?”. Você tem que pensar no todo.

Entertainment Weekly Radio: Houve uma pausa nos cumprimentos com punho cerrado. O que era aquilo? Era tipo um movimento especial da Tara por um tempo?

Alanna Masterson: Oh, graças a Deus. Eu passo fácil sem os fist-bumpings. Acho divertido. É uma coisa da Tara eu acho. Sempre tento mudar por um aperto de mão – mas nunca funciona. Ela provavelmente faz isso por trás das pessoas. Talvez apenas a audiência não veja isso e ela deve fazer com cada pessoa de Alexandria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário