sábado, 21 de fevereiro de 2015

REVIEW The Walking Dead - S05E10 – “Them”: A Noite dos Mortos Vivos


Em busca de um abrigo e ainda chorando as recentes perdas, Rick e seu grupo segue em direção a Washington, beirando a exaustão. Em “Them” fica bem claro que o carrossel emocional e o cansaço físico estão levando o grupo ao seu limite. Encontrar um abrigo é necessário, mas de fato, há desejo por continuar lutando?

Mesmo aqueles personagens que sempre se mostraram mais resilientes começam a fraquejar. Desolada pelo que aconteceu à Beth, Maggie finalmente explicou por que não a procurou logo após se separarem. De fato, havia tão poucas chances de que a moça estivesse viva, que manter as expectativas baixas parecia ser a melhor saída.

Manter as expectativas baixas também parece ser uma boa estratégia para o grupo como um todo. Encontrar garrafas cheias de água, deixadas por um “amigo” no auge da sede, é motivo de desconfiança e não alegria.

Por outro lado, é preciso dizer que eles foram extremamente sortudos, pelo menos três vezes: quando morriam de fome, toparam com os cães que serviram de alimento; no ápice da sede, enquanto enfrentavam o dilema de beber ou não a água deixada pelo “amigo desconhecido”, a chuva finalmente caiu; e quando os walkers atacaram, a tempestade impediu que o celeiro fosse invadido.


Apesar desta intervenção da providência divina, são poucas as esperanças de que o grupo encontre forças para construir algo novo. Agora seus objetivos se resumem ao que há de mais básico para o ser humano: abrigo, água, comida.

Desta forma, é preciso se perguntar até que ponto sobra espaço para temas complexos na série. Sem dúvidas, a dor, bem como a perda da humanidade, serão assuntos recorrentes sempre, mas ainda há espaço para introduzir novas questões? Não por acaso, os sobreviventes se tornam mais interessantes quando encontram adversários humanos, pois estes trazem desafios que superam as questões básicas de sobrevivência e entram no campo da moral.

O discurso de Rick no celeiro é simbólico neste sentido. Para sobreviver, será preciso diminuir ao máximo aquilo que os torna humanos, só assim poderão continuar sobrevivendo. Não é uma tarefa fácil, pois como Daryl bem falou, eles não são os mortos vivos.


Observações:

– Judith deve ser o bebê mais manso sobre a face da Terra. Com fome e sede, não chorou copiosamente, nem uma vez neste episódio.
– Alguém aí está contando quantas vezes Daryl salvou Rick?
– Sasha e Maggie têm uma relação interessante. As duas escaparam juntas da prisão e possuem dilemas relativamente semelhantes: “como manter um relacionamento amoroso durante o apocalipse zumbi”, “onde está meu irmão”, etc. E agora, as duas compartilham o mesmo drama. Será muito legal se isto se transformar numa amizade, pois Sasha precisa criar novos vínculos, antes que sua atitude custe a vida de alguém.

Não deixe de comentar o que achou o episódio e de postar suas expectativas a respeito da chegada do novo personagem no fim do episódio.

Até mais.

O que você achou do episódio “Them”? Quais são seus pensamentos sobre todos os acontecimentos e o que você espera ver no próximo episódio, S05E11 – “The Distance” (A Distância)? Deixe tudo nos comentários abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário