quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Andrew Lincoln explica porque o episódio “Them” o fez chorar


[ATENÇÃO!! ESTE CONTEÚDO CONTÉM SPOILERS DO EPISÓDIO S05E10 – “THEM“!]

Há alguns meses, Andrew Lincoln contou ao Entertainment Weekly que o décimo episódio dessa temporada era o episódio que ele mais queria gravar. Agora que esse episódio – intitulado “Them” – foi ao ar, eles perguntaram a Lincoln o que ele queria dizer com isso. “Bem, o que eu queria dizer é que sou um grande admirador de Cormac McCarthy.”, afirma Lincoln. “Quando eu estava me preparando para a primeira temporada dessa série, eu li algumas coisas e [o livro de Cormac McCarthy] ‘A Estrada’ foi uma delas. Eu apenas pensei que isso era uma parábola moderna. Quero dizer, é isso que é: é como uma parábola clássica e essa é a coisa mais próxima com a qual posso comparar. Acho que existe uma simplicidade, uma objetividade e uma poesia naquele livro. Certamente o roteiro também tinha essas características e eu espero ter conseguido capturar isso no décimo episódio.”

O momento culminante da degeneração física e emocional do grupo ocorre quando o Rick Grimes de Lincoln faz o seguinte discurso para o grupo, enquanto eles buscam abrigo de uma tempestade em um celeiro:

“Quando eu era criança, perguntei ao meu avô se ele havia matado algum alemão na guerra. Ele não respondeu. Disse que era coisa para gente grande, então… Então eu perguntei se os alemães haviam tentado matá-lo, mas ele ficou quieto de verdade. Ele disse que estava morto no minuto em que pisou no território inimigo. Todo dia que acordava, dizia a si mesmo, ‘Descanse em paz – agora se levante e vá à guerra.’ E então, depois de alguns anos fingindo estar morto, ele conseguiu sair de lá com vida. E é aí que está o truque, eu acho. Nós fazemos o que precisamos fazer, e então podemos viver. Mas não importa o que encontraremos em D.C. [Washington], eu sei que ficaremos bem, porque é assim que nós sobreviveremos. Nós dizemos a nós mesmos que nós somos os mortos vivos”.

Esse discurso realmente teve um grande efeito em Lincoln quando ele leu pela primeira vez devido a uma conexão pessoal do passado. “Quando li, me lembrou de algo que aconteceu na minha vida quando eu falei com alguém em uma luta.”, conta Lincoln. “Era quase o mesmo discurso, então ele ressoou em um nível realmente profundo e familiar. Eu me lembro de que, quando li, eu chorei. Quando li o roteiro, não consegui… Porque eu sempre tendo a ler as minhas falas em voz alta e simplesmente não consegui fazer isso. Fiquei com a sensação de algo preso na garganta quando li esse discurso. É um episódio muito corajoso e espero termos feito isso direito.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário