quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

REVIEW S05E08 – Coda: Requiem


Finales sempre são o momento de dar adeus a um personagem regular em The Walking Dead e, no bolão dos eliminados, Beth e Carol eram as duas personagens mais cotadas para esta mid season. As duas tiveram destaque nas últimas semanas, com episódios dedicados às suas respectivas jornadas espirituais, mas em determinado momento de Coda, ficou claro que a escolhida era Beth.

Coda é um termo musical que se refere ao fim de leitura de uma partitura. E assim como o símbolo determina o término de uma música, a morte de Beth determinou o fim do arco envolvendo o Grayd Memorial Hospital.

Fim abrupto diga-se de passagem, até os 36 minutos do episódio não havia indícios de que Beth fosse de fato morrer. Aliás, sua morte foi causada por si mesma, no que parece ter sido um acidente bizarro, causado por um disparo acidental quando ela tentou atingir Dawn com a tesoura.

Além de soar desproposital e inesperada, a morte de Beth levanta algumas perguntas. Ela estava tentando salvar Noah ou apenas queria se vingar de Dawn? Seu objetivo era salvar os moradores do hospital? Pensar que o Grady Memorial vai ser um lugar melhor simplesmente por que Dawn se foi é ingênuo. Afinal, havia bons e maus policiais por lá. O que garante que a ala podre não vai dirigir o lugar normalmente?

Ainda sobre o ataque, na pior das hipóteses, Beth poderia ter causado um tiroteio com um número de mortes significativamente maior.


Agora, desproposital mesmo foi Padre Gabriel atrair os walkers para a igreja. Ao que parece, ele foi para a escola para confirmar que Gareth e seu grupo eram monstros que mereciam a morte que tiveram. Para ele era preciso confirmar que Rick tomou a decisão “correta”, mas arriscar a própria vida e ainda por cima a de Carl, Judith e Michonne por causa de uma ansiedade é insano. Sorte dele que Rick não estava lá com o carro de polícia.

Claro, foi uma cena catártica. Gabriel trancado do lado de fora da igreja, implorando para entrar no lugar, da mesma forma que sua antiga congregação tentou. A mesma congregação que agora tenta comê-lo vivo.

Assim como Gabriel, Beth agiu por instinto e, no fim das contas, ela foi a causadora de sua própria morte, talvez por isto esta mid season finale não tenho sido tão satisfatória.

Observações:

– A sequência de abertura vai entrar como uma das memoráveis. Rick perseguindo Lamson num carro de polícia, da mesma fora que faria antigamente, só que agora ele atropela os fugitivos.

– Em alguns fóruns, muitos fãs já começam a discutir se Carol teria entrado na categoria dos “imortais”, na qual Rick, Carl, Daryl e Michonne já se encontrariam.

– De fato, Sasha e Tyreese não souberam lidar com seus respectivos prisioneiros. Para eles, trata-se de manter a essência e não deixar que o mundo cão os mude. Veremos até que ponto isto pode colocá-los em perigo.

– Nos próximos episódios, Maggie deve entrar em uma montanha-russa emocional. Até pouco tempo ela rumava a Washington em busca da cura e agora chora a morte da irmã, que até pouco tempo julgava estar desaparecida.

– Outra pessoa que vai ter grandes dificuldades para lidar com a morte de Beth é Daryl, afinal, ele foi o último do grupo que realmente passou algum tempo com ela.

– Noah agora faz parte do grupo, graças a Beth. Será que ele sente algum tipo de culpa pelo que aconteceu?

– Após os créditos de Coda, existe uma cena que traz de volta um personagem que não vemos há algum tempo. Se você ainda não viu, dê uma checada aqui.

E aí, a morte de Beth foi satisfatória? O que será do grupo agora, já que nem a cura, nem Beth estão por aqui para movimentar a história e dar um objetivo ao grupo? Deixe nos comentários o que você achou deste episódio e até o dia 8 fevereiro, quando The Walking Dead retorna! Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário