quarta-feira, 1 de outubro de 2014

The Walking Dead 5ª Temporada: As teorias em torno do Hospital


[POSSÍVEIS SPOILERS DA 5ª TEMPORADA DE THE WALKING DEAD. VOCÊ FOI AVISADO.]

Beth Greene (Emily Kinney) pode ser “a nova xerife da cidade” em The Walking Dead, mas ela está longe do comando daquele ambiente hospitalar apresentado no final do trailer da quinta temporada.

As cenas dele não estariam nem mesmo no trailer, mas Scott Gimple, showrunner da série, achou melhor acrescentá-las para dar aos fãs uma breve resposta sobre onde estava Beth e que ela está viva.

No hospital vemos a personagem em um uniforme hospitalar, mantendo uma mulher em uma maca enquanto ela sofre uma dolorosa amputação, puxando algo enquanto um policial é atacado no chão. Vemos também Beth verificando um poço de elevador, como se ela fosse uma prisioneira em busca de uma saída, além de uma possível fuga e apanhando de uma policial.

Porém, desde então, nada mais foi divulgado sobre o local tanto nos vídeos quanto nas fotos promocionais, o que levou a um crescente número de questionamentos e especulações em relação à personagem e o hospital.

Assim, Terminus passou a dividir a atenção dos fãs com o ambiente hospitalar que aparenta ser o segredo mais bem guardado pela produção da série e que tem levado a inquietação dos fãs mais ávidos por respostas.

Diante do crescente questionamento sobre Beth e o hospital, Gale Anne Hurd, a produtora executiva da série, disse em recente entrevista para UsWeeekly que “Ela está em um lugar onde não há uma grande liberdade de escolha”.

Isso se confirma nas palavras dita para Beth pela policial interpretada pela atriz Christine Woods. “Se sacrificarmos o que fizemos, que seja para um bem maior. E aqui, você não é um bem maior, você é parte do sistema.”

O que é o “sistema”? O que é “o bem maior”? O discurso da policial chamou à atenção dos fãs e tem levado as mais diversas teorias sobre o hospital. Confira algumas:

A cura é o foco da primeira parte da temporada


O “conhecimento” de Eugene (Josh McDermitt) sobre a cura para o vírus zumbi parece ter ganho maiores proporções nos roteiros da quinta temporada.

Segundo a teoria de alguns fãs, a cura parece ser o propósito não apenas de Abraham (Michael Cudlitz), mas, também, de Gareth (Andrew J. West) no Terminus e do hospital.

No discurso de Bob (Lawrence Gilliard Jr.) para Gareth, ele fala sobre eles terem um homem que conhece a cura e o desenrolar do trailer sugere que Gareth tem interesse na cura. Quanto ao hospital, especula-se que as palavras da policial sobre “o bem maior” se trata na verdade da cura.

Então, é válido pensar que o canibalismo poderá não ser somente o assunto central, mas, também, a busca pela cura como um dos focos de todos os grupos na primeira metade da quinta temporada.

Experiências com humanos


As pessoas sequestradas pelos carros marcados com uma cruz e levadas para o hospital são usadas como cobaias para testes com vacinas feitas pelos “cientistas” do local.

Pelas especulações, eles criam amostras e injetam nas cobaias humanas através de seus braços, por isso já se vê a proteção no braço de Beth, tendo ela já passado pelo procedimento.

As cobaias vacinadas são mordidas por zumbis e, assim, testadas se as amostras para vacinas funcionam. Caso elas se transformem, são sacrificadas, e os membros são amputados e usados para análise. E assim este sacrifício de pessoas seria o que a policial disse: “Todo sacrifício que fazemos precisa ser para o bem maior”.

É plausível que o hospital seja uma forma tortuosa de um Centro de Controle de Doenças na busca pela cura, através de experiências com vacinas em cobaias humanas.

Mas a proteção usada por Beth parece mais com um gesso usado para tratamento de fratura (talvez causada por um atropelamento?). Ela pode ter sido vacinada, mas aparenta que está sendo usada como um dos membros da equipe pela sua participação em momentos envolvendo procedimentos cirúrgicos.

Terminus e Hospital – cura através de reprodução


Alguns fãs acham que pode haver uma busca conjunta pela cura já acontecendo entre os dois lugares e que envolve reprodução humana.

A especulação é que as pessoas capturadas em Terminus são colocadas no vagão “A”. Os homens passam por uma espécie de triagem. No vagão “B”, ficam todas as mulheres que serão enviadas para o hospital e, somente os homens que passaram na triagem.

No hospital, após o experimento com a vacina nas mulheres, ocorre à experiência com a reprodução, gerando bebês com ou sem o vírus zumbi.

Isso foi levantado porque apenas homens participam do interrogatório e, também, devido a um spoiler sobre precisarem de uma antiga máquina de ultrassom no set do hospital onde eles estavam filmando. Pensou-se imediatamente que Maggie (Lauren Cohan) poderia está grávida.

Assim, essa teoria é válida por remeter aos quadrinhos, quanto aos canibais (até agora apontados como sendo as pessoas do Terminus) terem uma preferência pelas mulheres (pela gordura que naturalmente possuem pelo fato de engravidarem) e por crianças, unindo apenas o ultrassom. Uma teoria bastante complexa!

Canibalismo – o efeito colateral da vacina:


Na cena em que mostra Beth puxando algo, enquanto tem no chão um policial morto, foi observado que a mulher que o ataca tem uma aparência humana e de quem ainda está viva, não mostrando a fisionomia de um zumbi.

Como não há a possibilidade de ter a cura para o vírus zumbi, as vacinas injetadas nas cobaias humanas possam causar como efeito colateral o canibalismo.

Scott Gimple disse que, ao contrário dele, Robert Kirkman não gosta que os eventos das HQ sejam trazidos de forma fiel para a série. Por isso, para agradar a ambos, ele faz um remix das histórias em quadrinhos, trazendo-as para a série, mas sendo contada de outra forma.

Se pensarmos nesta forma de trabalhar de Gimple, esta assustadora teoria é válida, já que traria para a série o canibalismo contado de outra forma, não com pessoas capturando outras, cortando os seus membros para comê-los (como nos quadrinhos), mas a vacina falhando e gerando a vontade de comer a carne humana na pessoa usada como cobaia no experimento.

Enfim, o certo é que Beth e Carol (Melissa McBride) – lembrando que a personagem foi atropelada por um carro com a cruz e levada por policiais – correm perigo seja qual for o propósito do hospital. Se eles estão agindo em conjunto com o Terminus ou não, descobriremos em breve com a estreia da quinta temporada.

O que você pensa – eles estão fazendo experiências com pessoas no hospital e no Terminus? Apenas o hospital? Nem mesmo no hospital? A ideia canibal ainda cabe no Terminus? Deixe todos os seus pensamentos e teorias nos comentários abaixo.

The Walking Dead irá retornar com a quinta temporada no dia 12 de outubro de 2014 na AMC e no dia 14 de outubro de 2014 FOX Brasil. Veja o trailer legendado da quinta temporada aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário