sábado, 18 de outubro de 2014

REVIEW S05E01 – No Sanctuary: Predador


Não foram poucos os avisos. Desde que surgiram os primeiros relatos a respeito das gravações da quinta temporada, o elenco e staff de The Walking Dead vinha dizendo que esta seria uma season para gente grande. Mas nada conseguiu nos preparar para a brutalidade que No Sanctuary traria.

Os primeiros minutos aparentam ser uma resposta ao que Rick havia dito no fim da quarta temporada. Presos nos containers que há pouco abrigavam o xerife e seu grupo, Gareth e os demais moradores de Terminus parecem lamentar a escolha de terem atraído viajantes para Terminus.

No fim, trata-se de um grande ciclo. O que pensamos ser o final, na verdade é um prólogo para a situação em que Terminus se encontra agora. Antes de se tornar um abatedouro humano, o local foi de fato um Santuário, um lugar de refúgio que sucumbiu à barbárie. Ao usarem de boa fé com viajantes na estrada, Gareth e o seu grupo foram aprisionados nos containers numa situação similar a que Rick e os demais se encontram agora, e jurando sair de lá, Gareth dá o mote do que foi o episódio e do que deve ser a quinta temporada: “você é o predador ou a presa”.


Este é um mantra que guia o espectador em No Sanctuary durante todo o momento e é representado de diferentes maneiras. Seja no conflito entre Tyreese e Martin – o morador de Terminus que antes até ia a igreja, mas agora não hesitaria em quebrar o pescoço de um bebê. Nas palavras do próprio, “você se acostuma”. Seja no fato de que foi Carol quem salvou o grupo, principalmente por que ela já assimilou a esta nova lógica. Se já também na própria história de Terminus, antes um refúgio, agora um açougue de carne humana.

É como se tudo estivesse apontando para a ideia de que a partir de agora não basta apenas se defender. Não há mais um meio termo, ou um jeito de “resolver a situação”, e se você ainda não percebeu isto, então é provável que será você quem vai morrer primeiro.


E se Carol já havia percebido isto, agora é Rick que aparenta estar assimilando a ideia. Muito mais combativo, ele se distancia cada vez mais daquele que baixou a guarda para o Governador. De certa forma, até mais violento, pois esta disposto a arriscar a segurança do grupo para ter certeza de que todos os moradores de Terminus estão mortos.

Sim, chegamos a um novo nível em The Walking Dead, em que as relações humanas tendem a ser cada vez mais brutais e os walkers, como sempre, implacáveis. Andrew Lincoln disse que esta seria uma temporada para adultos. Agora sabemos que ele não estava brincando.

Observações:

– Se você ainda não viu a cena pós-créditos de domingo, corra para cá e descubra quem deve fazer uma aparição em breve.

– Neste episódio, Carol se consagrou como a personagem que mais cresceu no decorrer da série.

– Nova temporada, nova abertura, e como sempre imagens que remetem aos locais em que os personagens irão transitar. Mas uma cena antiga chamou atenção. Trata-se do walker solitário da segunda temporada, que faz uma aparição no último momento da abertura. Pessoalmente, esta é uma das minhas cenas preferidas de toda a série.

– Mais uma vez, The Walking Dead quebrou recorde de audiência nos Estados Unidos. Foram cerca de 17.3 milhões de espectadores no domingo, quase 1 milhão a mais do que na última temporada.

E você, o que achou do episódio? Qual foi a parte que você mais gostou? Esquecemos de mencionar alguma coisa? Deixe seus pensamentos nos comentários abaixo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário