terça-feira, 26 de agosto de 2014

Estendido o prazo para as filmagens de The Walking Dead em Senoia


Você imagina The Walking Dead no ar até…2020? Dez até doze temporadas?! Para os fãs da série esta é uma das melhores notícias que se poderia receber, mas o mesmo não pode ser dito por parte dos moradores onde está sendo construído o fictício muro de Alexandria.

O Times-Herald.com relatou no site como foi a reunião na Câmara Municipal de Senoia que aprovou na segunda-feira o pedido de Michael Riley de Stalwart Films e a reação dos moradores a solicitação e acolhimento favorável do pedido pelos vereadores da cidade.

No pedido original, as filmagens aconteceriam de 11 de setembro até 26 de novembro de 2014, sendo fechadas as Morgan Street e Amey Street, além da construção e permanência do muro ao redor do Condomínio The Gin Property, na área histórica da cidade. Agora, irá até 30 de novembro de 2015, com a opção de renovações anuais até 2019.

Porém, para os moradores do bairro histórico, onde está sendo construída a locação, o pedido de prorrogação não foi bem vindo e na audiência pública realizada na segunda, dois dos residentes se opuseram ao pedido pelas inconveniências causadas pelas filmagens da série e até mesmo os fãs entraram na história!

Segundo o site, Kathleen Sullivan, que mora em Pylant Street, falou por ela e pelo seu vizinho, Fred Morris de Morgan Street, dizendo que ela e moradores do bairro histórico tinham que cumprir várias regras quando desejavam construir algo no bairro.

“Mas a Stalwart Films tem sido abençoada por todos vocês para construir a criança do pôster. O problema é que o muro é no meu quintal”, disse ela. “Durante a audiência pública realizada 07 de julho, relativa ao pedido original, eu disse que o muro seria feio. Nenhum de nós tinha visto ainda”, disse ela. “Mas, OMG, é mais feio do que eu jamais poderia imaginar”.


De acordo com Sullivan, os materiais de metal corroídos e enferrujados não pertencem ao bairro residencial e ela instou o Conselho a não aprovar o pedido de longo prazo. “Nós não sabemos o impacto”.

Sullivan disse que o muro poderá se tornar problema jurídico. “Se a cidade e os seus moradores forem sujeitos a tal incômodo por cinco anos, serão tomadas ações legais.” Ela disse que ela e seu vizinho estão pensando em contratar um advogado e “tomar todas as medidas são legalmente necessárias para ser capaz de viver nossas vidas de usufruto tranquilo de nossas propriedades”.

A moradora ainda disse que os estúdios querem ditar, em uma cidade pequena, o que os proprietários podem ou não fazer com suas residências e dependências. “Seria de esperar que Stalwart fosse filmar apenas por algumas semanas. Mas, cinco anos? Por favor”, disse Sullivan.

“Senoia já esperava por isso, já que várias pessoas disseram que era um desperdício de tempo comparecer à audiência, porque tudo já estava pré-aprovado para Stalwart”, disse Sullivan referindo-se a aprovação do pedido.

A residente ainda se referiu aos fãs da série dizendo que quem elegeu os vereadores foram os moradores. “Eu me recuso a acreditar nisso. Todos vocês são eleitos por aqueles de nós que vivem aqui, não pelos ‘walker stalkers’ que compram uma casquinha de sorvete e uma garrafa d’água em Main Street e voltam para suas casas onde quer que elas moram, agradecidas pela muralha não serem em suas comunidades.” Aqui, a moradora se refere aos fãs que constantemente se aproximam do local para ver a locação para acompanhar a construção, e consequentemente, as filmagens da série.

Karen Allen de Seavy Street disse que ela não acha o fechamento das ruas seja uma coisa boa para a cidade. Ela está particularmente preocupada com o acesso ao correio e a Gin Street. Não havia nenhuma menção a Gin Street, ela disse. No passado, quando a Gin Street foi fechada para as filmagens era quase impossível chegar aos correios.


Falando a favor estavam Scott Tigchelaar, presidente do Raleigh Studios Atlanta e desenvolvedor do Gin Property, e Suzanne Helfman do Senoia Downtonwn Develpment Authority.

Tigchelaar disse que, chegando o final de 2015, o Conselho será capaz de obter a entrada dos cidadãos, “ver como as coisas estão indo e conceder as renovações adicionais a seu critério.” Tigchelaar disse que material da muralha o lembrou de um antigo descaroçador de algodão em ruínas que estava imóvel antes dele comprar.

Helfman falou sobre todas as coisas que a indústria cinematográfica levou até Senoia e disse que estava confiante de que, se problemas surgissem, “a cidade e a Stalwart poderiam lidar.”

A cidade entrou em um acordo com a Stalwart que estabelecia alguns requisitos.

“Temos que colocar muito tempo e esforço para esse acordo”, disse o vereador Jeff Fisher. “Nós fomos para lá e para cá com isso tudo. Não há carta branca sobre a indústria do cinema na cidade.”

“Tivemos muita discussão sobre o que ia ser um acordo apropriado com a Stalwart”, disse Fisher.

No acordo, se as filmagens se estenderem para mais de 180 dias, as estradas serão abertas até o encerramento das filmagens. Toda a construção temporária terá que ser feita de acordo com os códigos de construção, e todas as estruturas temporárias terão de ser removidas uma vez que a licença das filmagens acabaram.

Stalwart vai fornecer à cidade um certificado de seguro a Morgan Street, e compromete-se a devolvê-la a suas condições iniciais se não melhores que as atuais.

A autorização, com efeito, tornará a Amey Street em uma via de mão dupla. Ela retornará a ser uma rua de mão única quando reaberta. Stalwart terá que fornecer um contato de 24 horas e de acesso para todos os serviços públicos e serviços. Se houver qualquer violação dos requisitos do licenciamento de filmagem, Stalwart terá 60 dias para sanar a violação.


A indústria cinematográfica trouxe um monte de receitas. “Junto com isso vem um monte de desafios”, disse o prefeito Larry Owens. E alguns deles “estamos apenas começando a lidar com eles.”

Senoia foi “abençoada com várias oportunidades e, em alguns casos, em alguns aspectos, estamos estabelecendo um padrão para o resto do estado sobre como lidar com esses desafios.”

“Esta vai ser uma experiência de aprendizado para todos nós. Vai ser uma experiência próspera para todos,” ele disse. “Já está sendo e continuará a ser.”

Enfim, não se pode tirar a razão dos moradores do bairro histórico em reclamar da autorização concedida para as filmagens, já que o seu bairro foi modificado com uma construção nada bela, mas, principalmente, ter o seu ir e vir cotidiano por um longo espaço de tempo, ditado por outras pessoas e dentro de sua propriedade.

Para os moradores ela pode não ser bela, mas para os fãs da série, a construção de Alexandria e a forma como ela está ficando tão fidedigna a HQ só aumenta a ansiedade por mais temporadas do show que, por enquanto, estão garantidas. Que Scott Gimple e os demais produtores façam valer a pena o esforço que o estúdio (e os moradores) está fazendo para termos The Walking Dead por mais anos no ar.

The Walking Dead irá retornar com a quinta temporada no dia 12 de outubro de 2014 na AMC e no dia 14 de outubro de 2014 FOX Brasil. Veja o trailer legendado da quinta temporada aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário