quinta-feira, 26 de junho de 2014

10 Momentos super aguardados que gostaríamos de ver em futuras temporadas de The Walking Dead


Com a quarta temporada de The Walking Dead finalizada, é hora de especular sobre quais serão os momentos incríveis e consequências terríveis que nos esperam na quinta temporada e além.

As quatro primeiras temporadas de The Walking Dead nos conduziram, mais ou menos, através dos primeiros nove volumes dos quadrinhos em curso; se bem que a última metade da quarta temporada escolheu algumas partes dos volumes 10 e 11 (canibais, alguém concorda?). Com um total de 24 volumes dos quadrinhos atualmente disponíveis, a série está quase a meio caminho do enredo estabelecido.

A última metade da 4ª temporada foi instável, direcionada aos personagens e cheia de ação, e nos apresentou os favoritos dos fãs Abraham, Eugene e Rosita, bem como o final repleto de suspense com os canibais amigáveis de Terminus. Mas, estes exemplos são apenas a ponta do próximo iceberg. Então, o que nos espera pela frente? Quais são os momentos que nós simplesmente precisamos ver? Quais são os personagens que iremos conhecer? E o que essas novas caras e situações significam para Rick e seu grupo não tão alegre de sobreviventes?

Reunimos alguns dos momentos mais intrigantes que ainda estão por vir em The Walking Dead. Este artigo vai mergulhar nas histórias em quadrinhos em que a popular série se baseia, esteja avisado e pronto: SPOILERS a seguir.

10. Padre Gabriel Stokes


Os rumores dizem que quando Beth foi levada em um carro misterioso, ela estava na companhia do padre Gabriel Stokes, um líder de igreja rural conturbado e cheio de culpa.

Nos quadrinhos, Gabriel ajudou Rick a localizar os canibais e rapidamente se tornou um contraponto moral para o grupo em um momento muito sombrio (ou seja, quando Ben mata Billy, Carl mata Ben, Glenn leva um tiro, Dale é parcialmente comido). O bom padre acompanhou o grupo de Grimes em direção a Washington e, posteriormente, a zona segura de Alexandria.

Enquanto estava em Alexandria, Gabriel se tornou um crítico de Rick e seu grupo, alegando que eles estavam, talvez, longe de se reintegrarem em uma comunidade mais estável e civilizada.

O Padre Gabriel, em grande parte, um personagem secundário nos quadrinhos, certamente poderia cumprir um papel importante na série. Enquanto ele mantem seus próprios segredos sombrios, sua presença fornece uma opinião confiável que poderia fundamentar e ajudar a orientar Rick nas decisões mais inquietantes que terão de ser tomadas.

Com a morte de Dale, e agora Hershel, o grupo precisa de alguém para ser a voz da razão e fornecer uma bússola ética à medida que avancem nas próximas temporadas. Uma possibilidade, considerando o estilo remix dos quadrinhos na série, é que Gabriel e Beth apareçam em Terminus a tempo de uma reunião tensa e o padre estará presente para julgar os métodos de vingança de Rick.

9. Rick começa um relacionamento com alguém que não é a Andrea


A morte de Andrea na adaptação para a TV foi um desvio polêmico dos quadrinhos, até porque ela ainda desempenha um papel importante atualmente. Nos quadrinhos, Andrea não serve apenas como franco-atirador do grupo, mas ela começou um romance popular e de longa duração com Rick.

Enquanto a série teve problemas em se aprofundar nos momentos mais dramáticos de sua exibição, os esforços românticos de Rick provaram ser vitais para o seu crescimento como um líder e uma força importante na manutenção da sua humanidade diante das constantes ameaças que encontra. Quem é e o que Rick se torna é em grande parte um reflexo dos seus relacionamentos. O relacionamento entre ele e alguém-que-não-é-Andrea provavelmente irá ocorrer na série, de um jeito ou de outro.

A questão é: como Scott Gimple irá fazer um remix deste importante ponto da trama? Dos personagens existentes, houve pessoas sugerindo que Michonne está ficando muito amigável com o Sr. Grimes, mas isso parece improvável, pois a heroína que empunha a espada samurai tem sua própria difícil vida amorosa para lidar.

Isso deixa duas possibilidades básicas. Uma delas é de uma nova personagem, talvez alguma jovem atiradora atrevida que vem de algum lugar ainda desconhecido? Afinal, ainda há um longo caminho em direção a Washington e Alexandria.

Mais intrigante é a possibilidade de Rick se envolver romanticamente com a Rosita Espinoza. Nos quadrinhos, ela é a namorada de Abraham, mas a série parece ter abandonado essa relação. Seu comportamento e as suas habilidades se assemelham a Andrea dos quadrinhos, e com a promoção de Christian Serratos a atriz regular da série na 5ª temporada, ela terá tempo de tela suficiente para se aproximar do xerife Grimes.

8. O suicídio de Carol


Um momento intensamente decisivo no enredo da Prisão dos quadrinhos foi quando Carol se matou com a ajuda de um walker acorrentado.

A Carol dos quadrinhos era mais socialmente desajeitada, perigosamente dependente e fraca de vontade. Depois de iniciar um relacionamento com Tyreese e perdê-lo para Michonne, Carol começa a se abater, dando em cima de Lori e se oferecendo para casar com ela e Rick. Quando é rejeitada, ela se desespera e sua necessidade de companheirismo cresce irracionalmente.

Em seu colapso emocional final, ela seduz o jovem filho de Hershel, Billy, e vagueia atordoada no pátio da prisão, onde um walker foi acorrentado para experimentos. Carol confessa a sua solidão para o zumbi, dizendo que é seu único amigo já que ninguém mais confia nela agora. Ela, então, dá um passo para a frente e permite que ele morda seu pescoço, estremecendo de prazer momentos antes de morrer. Ela morre nos braços de Tyreese e é abatida por Andrea.

Sua história foi curta e triste, um fato que Robert Kirkman disse desmente o destino de tais pessoas emocionalmente instáveis em cenários apocalípticos. A filha de Carol, Sophia, ainda vive nos quadrinhos, embora ela tenha ficado em segundo plano em grande parte da segunda temporada da série.

Na televisão, vemos uma Carol diferente, mas com certas semelhanças. Nas temporadas 1 e 2, ela era mais parecida com a Carol dos quadrinhos. No entanto, no final da 4ª temporada, a Carol da TV é menos dependente e se torna uma sobrevivente feroz. Ainda assim, essas partes emocionalmente abaladas e mutáveis ainda fazem parte dela e não parece um exagero supor que na 5ª ou 6ª temporada poderíamos vê-la se jogar intencionalmente nos braços de algum walker sortudo.

Porém, no remix da TV, Beth Greene parece ser uma candidata provável a perecer dessa maneira, tendo sido criada como alguém dependente e incerta, e que tentou o suicídio no final da 2ª temporada. A morte de Carol foi um momento decisivo para o grupo, que aparece nos quadrinhos um pouco antes do retorno do Governador para a sua vingança final. Na série, seria mais provável ocorrer em algum lugar na estrada entre Washington e Alexandria. Esse momento, seja Carol ou Beth, fornece um catalisador difícil e um exame de consciência para a pausa que antecede a segunda metade do enredo da história.

7. O ataque de Rick aos canibais será definitivamente enlouquecedor


Já vimos Rick Grimes desequilibrado antes, como por exemplo, os bate-papos noturnos com a Lori-fantasma na prisão e seu brutal ataque aos Reivindicadores (Joe e Dan – que quase foi o estuprador de Carl). Esses momentos foram apenas exercícios de aquecimento em comparação com a carnificina que ele desencadeia sobre o grupo canibal, conhecido nos livros como Os Caçadores e na TV como o Grupo de Terminus.

Embora os nomes e as circunstâncias sejam diferentes (nos quadrinhos, os canibais eram um grupo menor e muito menos organizado), podemos certamente esperar que os resultados sejam de ferocidade calculada.

Os caçadores apareceram como suburbanos educados, incapazes de caçar ou cuidar de si mesmos no mundo apocalíptico. Eles se voltam para o canibalismo, matam e comem os sobreviventes inocentes para poupá-los do problema. Quando eles sequestram e parcialmente comem Dale, Rick e companhia os encontram e os extermina em uma das sequências mais épicas na história dos quadrinhos.

O Grupo de Terminus, que se apresentou habilidoso com armas, compartilha semelhanças com Os Caçadores no que diz respeito a sua dissimulada vibe suburbana e a falsa esperança de algo significativo; Terminus poderá servir como pretexto para o grupo desiludido colocar o pé na estrada a caminho de Washington.

O crescimento dos personagens após esse momento é essencial para o restante da história, e acontece em grande parte devido ao abuso calculado e pura selvageria de sua vingança. Algo nesse nível certamente acontecerá na série, e será algo que vai cicatrizar as consciências de muitos e consolidar a vontade de viver em outros.

Com Rick no modo “full-Grimes” com o grupo de Terminus e a adição de um feroz Daryl Dixon, com certeza teremos, pelo menos, um espetáculo de retribuição. Podemos apenas esperar ter um gostinho de “carne contaminada” em algum momento do remix.

6. Rick decepando a mão de Jessie


De longe, um dos momentos mais emocionantes da história em quadrinhos é quando uma enorme horda de walkers invade através das cercas de Alexandria e o caos começa.

Presa em uma casa com Carl, Jessie (breve primeiro interesse amoroso de Rick), e seu filho Ron, Rick decide fazer uma pausa antes que seja tarde demais. As coisas não saem como planejado quando Ron, mesmo com a camuflagem de tripas de zumbi, entra em pânico e rapidamente começa a ser comido. Jessie, em estado de choque, não larga a sua mão, ou a mão de Carl, e como os walkers se aproximam para exterminá-los, Rick faz a única coisa que ele pode: ele corta a mão de Jessie com um machado, libertando Carl e correndo para longe do enxame de walkers.

É uma decisão ousada e que tem um peso mental significativo para Rick no futuro, mas define-o como a história avança. Quando Jessie perguntou como ele poderia pensar em sair quando havia muitas outras famílias que ainda estavam presas com a horda, ele lhe disse que era simples: porque não são nossos filhos. Este é Rick. Um homem que se mantém vivo, mantém a esperança viva, para o bem e segurança de seu filho.

A série tem incutido esse sentimento de Rick durante as longas conversas (alguns diriam repetitivas) com Hershel sobre a importância da família no novo mundo. Mais ainda, já vimos Rick cometer atos inomináveis pelo bem de Carl e seus companheiros, por isso, se e quando ocorrer esse cenário, essas sementes dos personagens terão sido plantadas e não haverá nenhuma dúvida de suas intenções.

Este momento é algo que poderíamos ver na metade da 7ª temporada e definiria a introdução de um personagem que aparece mais a frente nessa lista, que traz consigo um bastão de beisebol e muitas dificuldades.

5. O retorno de Morgan Jones


Após os canibais e antes de chegarem em Alexandria, quando o grupo ainda acreditava que tinha alguma finalidade em ir a Washington, Rick, Carl e Abraham fazem uma viagem para encontrar Morgan Jones, visto pela última vez mentalmente desequilibrado devido a sua culpa e os horrores que vivenciou. Desta vez, Morgan se junta a eles e começa a recuperar seu senso de propósito e sanidade.

Ele viaja para Alexandria com Rick e se instala na comunidade, começando uma relação com Michonne e tornando-se ele mesmo novamente. Eventualmente, uma horda enorme atravessa os portões e Morgan é mordido enquanto ajuda a defender suas casas. Ele morre logo depois, abatido por uma Michonne chorosa.

Morgan é vital para o desenvolvimento de Rick, testemunhar a redenção de Morgan é essencial para quem Rick deseja ser enquanto ele luta para manter seu filho vivo e reconstrói uma vida que consiste apenas em sobreviver.

Na televisão, o excelente Lennie James interpreta Morgan, e já foi visto uma vez desde sua introdução na 1ª temporada. Em um episódio da 3ª temporada, Clear, Morgan estava expurgando sua cidade natal dos walkers e seu coração da culpa quando Rick pediu-lhe para se juntar a eles na prisão. Ele disse que não, que tinha que ficar e terminar o seu trabalho.

O retorno de Morgan poderia provavelmente ocorrer em meados da 5ª temporada, quando o grupo foge de Terminus em direção a Washington. Após os acontecimentos desumanos de sua fuga dos canibais, uma reunião com Morgan seria necessária a todos, especialmente Rick, enquanto eles tentam se lembrar quem eram e refletem sobre o que tiveram de se tornar.

4. A Zona Segura de Alexandria


Como já foi mencionado, a zona segura de Alexandria é uma comunidade grande e estável que o grupo de Rick encontra a caminho de Washington. Liderada pelo enigmático e perturbado Douglas Monroe, Alexandria torna-se um refúgio seguro de longa duração para os nossos heróis durante a trajetória do apocalipse zumbi.

É claro que longevidade não significa facilidade, e alguns dos momentos mais intrigantes em relação ao desenvolvimento de personagens ocorrem nos primeiros estágios de sua chegada a Alexandria e as suas tentativas de re-ajustar a alguma forma de vida normal depois de tudo o que fizeram e suportaram.

Desde a sala de armas de Rick e Glenn até o desgostoso jantar de Michonne e a crise emocional de Carl no Halloween, finalmente obtemos um vislumbre de quão longe o nosso grupo chegou desde os primeiros dias do colapso, mostrando-se inadequados em uma sociedade mais civil.

Juntamente com uma segunda colônia grande, Hilltop, Alexandria representa tanto benefício como fardo e faz com que Rick comece a acreditar novamente que se pode voltar atrás e há uma chance de reconstruir.

A zona segura de Alexandria expande o mundo de The Walking Dead e inicia a primeira fase de tentativa de reconstrução da sociedade em grande escala. Podemos esperar que Rick e seu grupo cheguem lá no meio da 5ª temporada ou no início da 6ª temporada, dando-lhes mais ou menos uma temporada e meia antes de ser invadida por milhares de mortos-vivos.

3. Carl perde um olho


Durante as fases iniciais da horda de walkers que devastam Alexandria, um perturbado e suicida Douglas Monroe vagueia no meio da horda para tentar ajudar. Quando Douglas é mordido e começa a ser visceralmente dilacerado, ele começa a disparar sua pistola descontroladamente.

Uma bala atinge Carl na cabeça e o jovem ferido passa um tempo considerável em coma antes de acordar com uma leve perda de memória e apenas um olho. Sua memória retorna, mas o incidente mudou Carl de maneira significativa. Após a perda do olho, Carl se torna mais maduro e confiante, uma parte vital na defesa do grupo.

Este momento é fundamental tanto para o desenvolvimento de Carl e Rick quanto para as ações subsequentes de Carl, que uma vez ou outra, provam que a perda violenta de seu olho poderia transformá-lo em um líder um dia se ele aprender a controlar suas emoções. Se assumirmos que 10 temporadas serão exibidas, a perda do olho de Carl poderia acontecer na metade da sétima temporada. Juntamente com o acontecimento em que Rick decepa a mão de Jessie, a imagem de Carl ensanguentado no chão em meio a uma horda frenética de walkers certamente deixaria os espectadores esperando ansiosamente pela segunda metade da temporada.

2. A introdução de Paul Monroe/Jesus


Um dos personagens mais populares da segunda metade do enredo de The Walking Dead é Paul Monroe. Também conhecido como Jesus, Paul é um especialista em artes marciais e estrategista astuto que vive na colônia Hilltop, um grupo de mais de 200 sobreviventes.

Depois de uma desconfiança inicial, Paul ganha a confiança de Rick e os dois finalmente se tornam uma equipe poderosa e inspiradora, juntando Alexandria e Hilltop em uma rota de comércio, ampliando assim o alcance de um mundo novo e maior para os nossos sobreviventes.

Infelizmente, esse mundo maior vem com um preço, e quando chega a hora de pagar, Jesus empresta suas habilidades consideráveis para o confronto final, onde o destino de todos os nossos heróis se encontram na balança.

Paul foi um importante elemento nos quadrinhos e será igualmente vital para uma temporada futura do programa de televisão. Seu estilo único e habilidades irão soprar nova vida no grupo cansado de Rick e seus pontos fortes como um líder dão a Rick um parceiro e confidente nas dificuldades que virão.

Podemos esperar que Paul entre na briga perto do final da 7ª temporada, depois que o grupo começa a limpeza de Alexandria após a devastação da horda zumbi. Apresentar Paul e Hilltop no intervalo da temporada iria definir a próxima temporada de maneira acelerada, construindo rapidamente a tensão com a vinda de um indivíduo que detém o primeiro lugar nesta lista.

1. Negan e Lucille


O preço que deve ser pago por Rick e Jesus para o seu plano de um mundo maior não é outro senão Negan, o baixo, empenhado e louco maníaco que dirige uma comunidade chamada Os Salvadores. Com Negan e sua amada Lucille, um taco de beisebol com arame farpado enrolado.

Exigindo metade dos suprimentos da coalizão Alexandria e Hilltop como um tributo regular no comércio de “serviços de proteção” de seu grupo (ou seja, não matando todos em ambas as comunidades), Negan coloca Rick em um território perigosamente familiar enquanto mortes e decisões desesperadas ditam um ritmo alarmante e uma guerra se segue.

Negan e o caos que ele cria guiam o enredo do último terço da atual série em quadrinhos e quando ele termina, deixa aqueles que ficaram de pé com um enredo totalmente novo. Este enredo é épico, e rapidamente se desenvolve – tensão muda e continua a crescer, levando a riscos cada vez maiores e a necessidade de fazer escolhas de partir o coração.

Negan provavelmente será introduzido em meados da 8ª temporada com a crescente guerra através da 9ª temporada. Junto com o enredo de Negan, vem muitas outras possibilidades emocionantes, incluindo Ezequiel, Dwight, e o uso de armas com sangue contaminado de walker. A conclusão do enredo de Negan poderia proporcionar uma resolução de esperança para encerrar a série, ou, como todos nós esperamos, que irá estabelecer o ponto de partida para preparar o caminho do nosso grupo para muitas temporadas futuras.

O que você achou dessa lista? Quais momentos dos quadrinhos você está mais ansioso para ver na série de TV? Deixe todos os seus pensamentos nos comentários abaixo.

The Walking Dead irá retornar com a quinta temporada em outubro de 2014 na AMC e na FOX Brasil. O trailer da temporada, bem como a data oficial de lançamento, será divulgada durante a Comic Con de San Diego, em julho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário