segunda-feira, 12 de maio de 2014

Cresce o número de "zumbis" na Jamaica


O grupo Médicos Sem Fronteiras foi chamado para cuidar sobre uma epidemia “Sem precedentes” do vírus Necro-Mortosis na Jamaica – não devido o número de vítimas (que ultrapassam os 107 que “morreram” e “voltaram”), mas sim porque a doença já atingiu várias partes do país. A infecção generalizada (que inclui a cidade capital do país Kingston) é rápida, pois levou menos de 4 dias. As Autoridades de Saúde Mundial (World Health Authority) concorda que existem muito mais desafios do que o “normal” para a equipe médica conter o avanço do vírus.

Para saber mais, conversamos com Erica Parks, uma assessora de medicina necrótica para o Médico Sem Fronteiras. Ela esteve em campo durante a epidemia que atingiu o Haiti e a África e com sua base em Viena, está ajudando a coordenar os esforços para frear esta epidemia. Parks acredita que a infecção tenha se alastrado rapidamente devido a facilidade da população de viajar dentro da Jamaica, incluindo o sul do país (onde os primeiros casos foram reportados) para a capital.

O quão preocupados vocês estão com esta epidemia?

Nós sabemos através dos outros surtos desta epidemia, que ela pode ser parada. O princípio é o mesmo: isolar os pacientes suspeitos e prevenir que estes ataquem e passem a doença para os outros em volta.

Acompanhar de perto as pessoas que tiveram contato com pacientes com a Mortosis. Então, nós rastreamos seus contatos, e sempre levamos informações sobre prevenção, porque a Mortosis é transmitida por contato próximo com pessoas infectadas. É transmitida por mordida, por fluídos do corpo, como o sangue, a urina, a saliva e as fezes – todos os fluídos dos corpos são contagiosos.

É muito importante informar a população sobre a infecção. Este certamente não é o primeiro caso sobre o necro-mortosis detectado na Jamaica. O fato é que muitos cientistas acreditam que seus vizinhos no Haiti, foram o marco zero para os primeiros casos da “zumbificação” desde 2006.

A população e a equipe médica conhecem muito bem a doença e isso nos ajuda com a contenção. Eles não precisam ser orientados de como a doença se espalha e como você pode se proteger e o que precisa ser feito quando alguém apresenta os sintomas (eles precisam é se dirigir a uma área do qual possam ficar isolados e em quarentena).

Alguma ideia de como o vírus dos “mortos-vivos” surgiu na Jamaica?

Nós não temos ideia ainda. Pesquisadores estão procurando respostas.

É na atividade sexual que o vírus se espalha de outra forma?

Você pode ser infectado por contato com qualquer fluído corpóreo, então sim, também por transmissão sexual. Mas as pessoas infectadas desta maneira ficam realmente muito doentes. Normalmente num período que vai de 04 à 48 horas.

Trecho retirado de “Sintomas e Tratamentos” do site da internet da World Health Authority:

"Com o “Necro-Mortosis”, os primeiros sinais são mal-estar e febre, dor de cabeça, fraqueza e um rápido desenvolvimento dos sintomas como os da gripe: com falta de ar, dores no peito, tosse, e às vezes sangramentos nasais ou mucosa aguada. O vírus progride de 2 até 4 dias causando insuficiência respiratória e por final entra em estado de choque.

O segundo estágio é seguido por frio intenso, letargia extrema, leve desorientação, e uma lentidão gradual dos batimentos cardíacos. Neste ponto, podem entrar em coma ou sofrer uma parada cardíaca. Isso é um grande choque para o sistema imunológico. Necrose e mortificação seguem-se aos pacientes neste grave quadro.

A reanimação acontece minutos depois. Estudos revelam que sempre “revivem” na primeira hora de morte”.

Quando tempo você acha que levará para conter essa epidemia do vírus mortosis?

É difícil calcular neste momento. O governo britânico está sendo de grande ajuda. Eles enviam rapidamente especialistas e treinam nossos soldados da melhor forma para conter os civis que entram em pânico. Também trazem medicamentos necessários e criam instalações de quarentena temporárias. A Jamaica é uma pequena ilha, então temos esperança de conter tudo antes que ele se espalhe em regiões mais carentes de auxílio. São nestes locais que realmente a dificuldade está, pois se chegar lá será muito complicado conter a propagação do vírus.

A maioria dos resorts continuam abertos, porém a tendência de público é diminuir. Vários cancelamentos já aconteceram e isso causa um grande impacto no turismo da Jamaica.

A marinha britânica também começou a patrulhar a costa para tentar desencorajar ao máximo as pessoas para não saírem de barco para o Haiti e Cuba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário