segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Cinco direções que a segunda parte da 4ª temporada de The Walking Dead poderá seguir!


ATENÇÃO: Esta matéria contém spoilers do oitavo episódio da quarta temporada, “Too Far Gone” (Indo Longe Demais), e dos quadrinhos.

Após a angústia e destruição do episódio de mid-season finale, “Too Far Gone”, o showrunner Scott Gimple não só quebrou a prisão relativamente segura, fragmentando os sobreviventes em pequenos grupos que agora estão aparentemente seguindo uma direção distinta, ele quebrou o show em pedacinhos, desafiando a si mesmo e o resto da sua equipe para reconstruir no decorrer da série.

Para os fãs, é emocionante ver alguém andar até um quebra-cabeça intrinsecamente montado, virá-lo, e começar tudo de novo – especialmente quando essa pessoa se senta em uma mesa que é construída em cima de um alçapão (quatro temporadas, três showrunners) – mas Gimple lançou o desafio, e agora nos perguntamos qual é o rumo que ele irá tomar ao conduzir a série para a segunda metade de sua 4ª temporada.

Como sempre, os primeiros trailers nos dão pouca indicação (com exceção de um exemplo), mas a lógica, dar palpites (graças ao material de origem), e alguns boatos do início da temporada tornam possível teorizar cinco direções que The Walking Dead pode tomar quando a série retornar em 09 de fevereiro.

1) Rick fica doente


Embora a série muitas vezes desvie dos quadrinhos, trocando um personagem por outro (Hershel morreu em um desentendimento na prisão, nos quadrinhos, mas no show, ele perdeu a cabeça, como um substituto para outro personagem que ainda vive – Tyreese) e ignorando o enredo dos quadrinhos inteiramente, nos momentos finais de “Too Far Gone” e o trailer da segunda metade apontam para uma representação fiel de dois personagens – Rick e Carl.

Visto pela última vez fugindo da prisão – que foi invadida por walkers – Rick está fisicamente maltratado e emocionalmente abalado graças à perda da sua casa e de Judith (falaremos sobre isso posteriormente), mas de alguma forma ele continua indo, mas por quanto tempo? No trailer, Carl é visto agitando Rick e gritando para ele acordar, então algo obviamente acontece.

É esta a história pós-prisão nos quadrinhos onde Rick está perto da morte e Carl está sozinho e com raiva? É uma história-chave e que seria inteligente de seguir. Rick tem lutado contra a ascensão de Carl para a idade adulta por muito tempo, mas isso não pode continuar e precisamos ver Carl ser independente, enquanto Rick aceita, lembrando-se de sua vulnerabilidade física, e a urgência com que ele precisa realmente preparar Carl.

2) Judith vive


A cadeira de bebê vazia e manchada de sangue foi um dos momentos mais surpreendentes no episódio mid-season finale, porém enquanto a Judith morre nos quadrinhos (quando é carregada por uma Lori em fuga durante o cerco da prisão), matá-la parece agressivo demais para um show que já evitou reproduzir o seu material de origem, que tem momentos terríveis e não muito apropriados para a TV – como, por exemplo, a completa tortura da Michonne pelo Governador.

Parece mais provável que alguém esteja com Judith, e uma vez que vimos os sobreviventes se agrupando em diferentes times no final de “Too Far Gone” – Time Glenn e o ônibus da Escola de Woodbury; Sasha, Bob, e Maggie; Daryl e Beth; Tyreese e talvez Mika e Lizzie, e é claro, Rick e Carl. Realmente não resta ninguém além de Michonne, que nós não vimos sair da prisão, mas cuja popularidade faz com que ela seja praticamente impossível de matar (por enquanto).

Além disso, enquanto ainda sabemos pouco sobre Michonne, sua interação com Judith no início desta temporada (e seu esforço inicial para obter a fórmula para a prisão) nos dá razão para pensar que existe algum tipo de amargura relacionado a uma criança pequena. Qual a melhor maneira de explorar isso e aperfeiçoar a Michonne do que torná-la protetora de Judith?

3) Distanciar-se de Morgan


Os acontecimentos do episódio da terceira temporada, “Clear”, realmente não seguiram os quadrinhos, mas redescobriu Morgan como um homem triste e enlouquecido e isso provou ser um desvio vital e bem executado que reiniciou o estado mental de Rick, aproximou Michonne mais para o grupo, e mostrou o brilho de Lennie James. Ele também reforçou um monte de confiança das pessoas em Gimple, que escreveu o episódio.

Nos quadrinhos, o retorno de Morgan é menos impactante, ocorre após a prisão, e dura mais tempo. Mas, apesar de Morgan poder retornar para o show em um determinado ponto (flashback?), os escritores têm que parar de ensinar e re-ensinar Rick a mesma lição sobre os perigos de ser mentalmente instável que ele aprendeu com Morgan, Clara (a menina na floresta de “30 Days Without an Incident” que reapareceu como walker no final do episódio) e do Governador.

4) O retorno de Carol


Perdido em meio ao caos do episódio, encontra-se o fato de que Rick e Daryl não disseram a Tyreese que Carol admitiu ter matado Karen e David. Isso é relevante já que o grupo se dispersa para longe dos escombros do seu mais recente assentamento. E essa situação oferece a oportunidade de trazer Carol de volta, uma vez que seus crimes podem ser considerados menos intoleráveis agora que as paredes caíram.

Sem a prisão e Hershel, não há realmente nenhuma maneira fácil para Rick e os outros se agarrarem à civilização, enquanto estão fora dela. Eles estão – pelo menos por um tempo – provavelmente vagando novamente em um ambiente selvagem. O que significa que a decisão de Carol de matar preventivamente dois membros doentes do grupo, em um esforço para evitar um surto, pode ser menos repugnante para alguns e, abre o caminho para o seu apreensivo retorno.

Será que Rick iria aceitá-la? Ele provavelmente vai ser um homem em transição (de novo), por isso é possível. Mas, poderia Tyreese aceitá-la se souber o que ela fez? Esse tipo de conflito pode sugerir que Carol encontre Tyreese, Mika e Lizzie na estrada. E esse parece ser um caminho plausível a seguir, especialmente se eles estabelecerem um vínculo através da luta para manter Mika e Lizzie seguras, apenas para ser dilacerado pelo segredo de Carol.

5) O caminho para algum lugar ou lugar algum


Eventualmente, eles vão encontrar novas pessoas (como Abraham), uma nova direção, e algo para se acreditar. Talvez, Scott Gimple tenha algo inteiramente novo na manga, ou talvez eles vão seguir os quadrinhos e sigam em direção a Washington DC e à zona segura de Alexandria.

Não se enganem. O grupo vai tentar reconstruir, porque é isso que eles fazem. Mas, e se não o fizerem? E se o show adotar totalmente um lado selvagem e que leve as personagens por um longo caminho até o seu próximo destino? Isso permitiria que os escritores conduzissem o show em algumas direções interessantes e horripilantes.

O salto para o próximo grande destino ou o próximo grande vilão (Negan?) neste momento vital simplesmente cheira a estagnação e deve ser evitado.

O que vive além da cerca e “lá fora” impulsiona bastante o drama em The Walking Dead, assim como o potencial do homem para se transformar em um monstro metafórico.

Estas ameaças foram controladas, ao longo da série, no entanto. O Governador – feroz como ele era – foi domesticado e as cercas e muros da prisão deram às pessoas uma sensação de segurança e uma chance de, pelo menos, conter o terror.

Não importa como Rick vai se recuperar e não importa se Carol retornará. Este grupo (ou esses grupos) precisa estar lá fora para evitar ser preso dentro da mesma prisão narrativa mais uma vez. É hora de colocar os sobreviventes do outro lado da cerca. É hora de mostrar-lhes os verdadeiros monstros por algum tempo antes de dar-lhes espaço para respirar de novo.

O que você espera dos próximos episódios de The Walking Dead? Quais são suas expectativas e teorias? Quem vai morrer? Compartilhe conosco nos comentários abaixo.

The Walking Dead, irá retornar com os oito últimos episódios da quarta temporada no dia 09 de fevereiro de 2014 na AMC e 11 de fevereiro de 2014 na FOX Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário