terça-feira, 11 de setembro de 2012

Conto de zumbi: O Caminho dos Mortos

Capítulo 4: Deixando o lar.


Richard e Eduardo se aprontam para almoçar, Sophie achava que esse seria um dia comum. Almoçar, sair, fazer compras, enfim, coisas do dia-a-dia. Mal podia imaginar a bagunça em que o mundo se encontrava. 

Desconfiada dos meninos, por estarem quietos demais, perguntou o que havia acontecido para eles terem ficado tão silenciosos. Richard respirou fundo, pegou o controle da TV e a ligou no canal de notícias e disse: “É isso!”. Sophie assistiu silenciosamente por longos 5 minutos enquanto a repórter descrevia a situação de sua cidade. 
“Estamos transmitindo ao vivo de Manchester, a cidade está um caos, os mortos estão voltando a vida em todo lugar. Ai meu Deus! Olhem aquele casal de idosos, eles estão sendo atacado. AAAAAAAAAAAAAAAAHHHHH! Eles estão vindo em nossa direção, corta se não vamos morrer aqui...”

Ela ficou paralisada. Um minuto... dois minutos... dez minutos se passaram e ela ainda estava lá, imóvel, em frente a TV. 

Eduardo achou melhor falar alguma coisa, mas no momento em que ele abriu a boca Sophie soltou uma risada meio que forçada. Olhou para o rosto dela e percebeu sua expressão de pânico. Era como se Sophie não quisesse acreditar no que acabara de ver. Eduardo e Richard tentavam acalmá-la e fazê-la aceitar a realidade. 

Segundos depois...

Poft! Paft! O grupo de jovens é surpreendido pelo ruído de batidas no portão. Eduardo pegou o controle que estava em cima da mesa e procurou pelo canal da câmera do portão. Havia uma pessoa tentando desesperadamente entrar pelo portão! A criatura se atirava pelo portão repetitivamente, como se não estivesse sentindo dor. 

Eduardo, desesperado, diz: “Se um deles já está aqui, então quer dizer que pode ter mais deles! Precisamos fugir rápido!”. Levou Sophie para a garagem, colocou-a dentro do carro, e retornou para a cozinha para ajudar Richard a recolher alguns suprimentos para a viagem. 

Todos no carro trocam olhares e assentem com a cabeça, como sinal de que era essa a coisa certa a se fazer. Eduardo aciona o controle, que dá início à abertura do portão eletrônico. 

Quanto mais o portão se movia, mais dava para visualizar a silhueta daquele desconhecido. O zumbi estava lá. Encarando-os. 

Richard pisa no acelerador. O zumbi entra correndo na garagem e tenta agarrar a traseira do carro. Sophie ao visualizar a cena assustadora, começou a gritar histericamente. Richard fez uma manobra de modo que o zumbi se desequilibrou e caiu no chão. Rapidamente, deu uma ré brusca e o atropelou no mesmo instante. 

Parou o carro e os dois olharam para o corpo estirado no chão. Eduardo deu um tapinha no ombro de Richard e disse: “Eu teria feito o mesmo!”. 

De repente, o zumbi que fora atropelado levanta-se. Richard sentiu um frio subindo a sua espinha, e, sem pensar duas vezes, pisou no acelerador...

Um comentário:

  1. Emocionante esse capítulo! O que os espera pela frente?

    ResponderExcluir