terça-feira, 28 de agosto de 2012

Conto de zumbi: O Caminho Dos Mortos

Capítulo 2: Explorando o amanhã


O corpo cai no chão. O sangue se espalha pelo quarto. O que acabara de acontecer deixará uma cicatriz em seu coração. Lágrimas escorrem pelo seu rosto, mas sua expressão facial permanece séria. Não conseguia acreditar que atirou em seu próprio pai.
Passados 5 minutos, ainda em choque, pegou seu cobertor, cobriu o corpo do seu pai e deitou em sua cama. Depois de algumas horas em pranto, pegou no sono e dormiu até o dia seguinte.

O dia amanhece ensolarado. Enquanto Eduardo desfrutava de seu café da manhã e assistia ao noticiário local, notou um pouco de fumaça vindo da parte urbana da cidade. Não deu muita importância, mas mal imaginava que enquanto ele estava ali, tomando seu cafezinho, os mortos estavam prestes a causar uma destruição ainda maior na cidade.

“A cidade está um caos!” – pensou Eduardo- ”Essas aberrações estão em todo lugar! Finalmente a mídia resolveu transmitir algo sobre esses monstros, mas agora não importa mais. Agora meu único objetivo é sobreviver!”
Abriu a janela da cozinha, deu uma olhada em sua rua.


Projetou em sua mente as crianças que ali brincavam, as fofocas rotineiras entre as donas de casas que por ali moravam, a calmaria que era o seu bairro. Não que agora seu bairro estivesse silencioso. Mas aquele silêncio que ali reinava, agora tinha um ar sombrio.

Sentiu que era hora de procurar alguém. Pegou o telefone e ligou para o primeiro número que veio à sua mente. Richard, seu vizinho e melhor amigo.
Sem sinal. Eduardo preocupou-se e achou melhor arriscar a conferir se Richard estava em casa, e de preferência, vivo. Afinal, não havia nada para fazer ali e a casa não era tão longe.

Com muito cuidado, Eduardo destranca seu portão e o fecha novamente. Mesmo que não houvesse nada por ali, achou importante fazer o mínimo de barulho possível para evitar possíveis problemas futuros. Pé ante pé, Eduardo virou a esquina e avistou a casa amarela de Richard. Com grandes janelas de vidro temperado e um belo jardim, aquela com certeza era a casa mais bonita do bairro!

Eduardo sabia que Richard nunca trancava a porta de blindex do jardim de inverno. Dirigiu-se até lá e entrou sem esforços na casa. Subiu as escadas em direção ao quarto de Richard e tomou um susto ao avistar uma criatura pelada, dormindo no meio daquele quarto, que por sinal, estava todo bagunçado.

Confuso, Eduardo sem saber o que ou quem poderia ser aquilo que estava ali na sua frente, sem um pingo de gentileza, arremessou o taco de beisebol que estava à sua direita na cabeça daquele ser que imediatamente reagiu: “QUEM FOI O DESGRAÇADO QUE JOGOU ISSO?”. Furiosa, uma criatura com a aparência nada agradável levanta.


Desculpa pelo atraso galera, houve um imprevisto que acabou atrasando a postagem de ontem ¬¬
Está ai o novo capítulo e segunda tem mais :D

Nenhum comentário:

Postar um comentário